sexta-feira, 26 de junho de 2009

Dias atrás....

Comecei a escrever este post no dia do jogo Brasil e Paraguay, mas só terminei hoje. Decidi postar mesmo assim.

Enjoy it! ;]
.
.
.

Brasil, Paraguay e a Glória

Dia de grandes emoções o de hoje....
...

No jogo Brasil x Paraguay, transmitido pela Band (pq ninguém merece o Galvão!), observei uma coisa interessante....

O narrador, ao comentar um lance com o jogador Kaká, disse que este está em uma boa fase – o filhinho dele está completando um ano, ele assinou um contrato milionário e agora é um galático, é lindo, joga bem (apesar do Netto falar que não jogou nada hoje) – e arremata seu comentário assim: “ele está cheio de glória”.

Depois, comentou que ele era realmente um bom moço, e que sua religião era maravilhosa...e terminou mandando um abraço para uma conhecida cantora evangélica e também pro esposo dela, famoso ex jogador de futebol....falou que precisavam conversar....
....

Eu gostaria de imaginar uma conversa assim(*):

Gylmar e Halinne vão a casa de Lucianno. Após os cumprimentos de praxe, todos se dirigem confortavelmente aos lindos bancos de madeira, instalados no agradável jardim da casa. Antes de prosseguir com os convidados, Lucianno conversa reservadamente com sua secretária, que segurava um telefone sem fio, tampando o bocal com uma das mãos.

Gylmar – Lucianno, eu e Halinne não poderíamos mais esperar para conversar contigo, apesar de saber do teu cansaço da viagem.

Halinne – Realmente, é muito importante o que temos para tratar com você.

Lucianno – Sem problemas! Na verdade, fui eu quem disse que tinha que falar com vocês pro país inteiro!

Após boas gargalhadas, Halinne, como boa esposa e serva de Deus, se põe em espírito de oração.

Gylmar – Ficamos ainda mais ansiosos para vê-lo, após o interessante comentário que você fez sobre a glória do Cacá. É que, de fato, a glória não é dele. Nunca foi, e nunca será.

Lucianno [gesticulando, interrompe] – Que é isso? Você quer desmerecer o que ele fez? [e olha pra Halinne, esperando compreensão].

Gylmar [calmamente, afirma] – De forma alguma! Mas como você mesmo diz, “uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa”. Cacá é um jogador talentoso, um homem de bom comportamento, um bom marido e pai de família. Mas isto não vem dele. Ele jamais seria assim, por si mesmo. Foi Deus que o fez assim. A glória não é dele. Ele somente reflete a glória de Deus dá a ele.

Lucianno escuta com atenção, mas ainda ressabiado com a conversa – e com a quietude de Halinne, que amorosamente olha para ele e sorri.

Gylmar – Deus concede esta glória ao Cacá porque ele busca conhecê-Lo, e viver de acordo com o que Ele quer de nós. E tudo o que Deus é, e quer de nós, e planeja para nós – que confiamos nEle, está aqui – neste momento, Gylmar entrega uma Bíblia para Lucianno.

Lucianno – Eu tenho uma Bíblia em casa... [diz, sem muito entusiamo].

Gylmar percebe e diz – Você acabou de comprovar minha tese! [sorri] Você não costuma ler a sua bíblia, não é?

Lucianno [corado] responde – Sim. Mas, que tese é esta?

Gylmar – Entusiasmo, traduzido do grego, significa Cheio de Deus...então, pelo jeito que você pegou nosso presente, percebi que não lê a sua bíblia.

Lucianno [ainda mais corado] – Desculpe-me!

Gylmar [que dá um tapinha amigável no braço de Lucianno]– Não se preocupe, isto não me ofende. Eu também agi assim, antes de abrir este livro e descobrir os seus tesouros, do qual o melhor é saber do infinito e imutável amor de Deus por mim. [pequena pausa] É um amor tão grande e incomparável que O levou a enviar Seu Filho Unigênito, Jesus Cristo, para sofrer e morrer em meu lugar.

Com os olhos marejados – e com toda atenção de Lucianno, intrigado por tamanha emoção por conta das histórias relatadas em um livro – Gylmar prossegue, agora com sua bíblia nas mãos.

Gylmar – Neste livro [ele balança levemente, segurando com cuidado e reverência], que é a própria Palavra de Deus, está escrito, como você pode ver comigo [neste momento ele abre a Bíblia em Romanos 5: 7 e 8]:
“Dificilmente morrerá alguém por um justo, embora alguém possa se animar a morrer pelo bom. Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores”.

Lucianno [um tanto inquieto] – Ok, querido, eu conheço a história. Cristo morreu pelos pecadores. Pessoas más, ladrões, aliás tem uma história que um ladrão tava ao lado dele, não tem? Mas, e eu? Bom profissional, nunca dei vexame pros meus pais....sou bom esposo, mas dou sempre a última palavra: - Sim, benzinho!!

Gargalhada geral.

Gylmar – Você pode me dizer dez nomes de times de futebol agora mesmo, não pode?

Lucianno [rindo] – Isto sim é que eu chamo de mudar da água para o vinho!! Bom, vamos as respostas: São Paulo, Santos, Cruzeiro, Atlético Mineiro, Flamengo, Fluminense, Botafogo, Coritiba, Atlético Paranaense, Avaí, Internacional, Grêmio, Paysandú, Sport, Náutico...opa! eram só dez, né?! Poxa, que pergunta difícil pra comentarista esportivo!

Após mais gargalhadas, Gylmar retoma a conversa.

Gylmar – Você é mesmo muito bom, amigo! Agora, pode me dizer os 10 mandamentos, que Deus deu a Moisés, e que estão descritos aqui na Bíblia?

Lucianno [ficando corado, novamente] – Não matar, não roubar, não trair, não mentir...bom, mas quem trai também mente.....ai, não sei.....olha, só tô lembrando destes....

Gylmar - Não matarás, não adulterarás, não furtarás, é o que diz Êxodo, no capítulo 20. Faltou pouco para acertar! Mas, Lucianno, me diga uma coisa: você já roubou algo?

Lucianno - Poxa, Gylmar, você me conhece a tanto tempo! Sabe que eu nunca fiz isto!!

Gylmar – Então, você nunca esqueceu de devolver um clipe, uma folha de papel, ou caneta, que pegou do escritório?

Lucianno [já sem graça] – É, mas, poxa, isto não é roubo. Você sabe que tem gente no Congresso e no STF que faz pior! Viu este negócio de derrubarem o diploma para jornalistas? [conclui, indignado]

Gylmar [acenando positivamente com a cabeça] – Mas, com certeza, você já mentiu.

Lucianno [espantado] – Mas, que conversa é esta? É claro que não minto! Isto é uma coisa muito séria!

Gylmar – Então, você não disse para sua auxiliar dizer que você não estava em casa, quando chegamos, a fim de conversarmos sossegadamente, não é?

Lucianno [corado e gaguejando] – É...bem....ah, vai dizer que você nunca fez isto?

Halinne – Lucianno, querido, vou procurar sua auxiliar, para pegar um pouco de água para nós, tudo bem?

Lucianno – Claro! Se você quiser eu posso chamá-la...

Halinne [já afastada] – Tudo bem, não é preciso!

Gylmar – Sua secretária parece ser uma mulher muito competente. E é muito bonita.

Lucianno – Ela é mesmo linda, mas, agora se cobre toda. É que quando fiz a entrevista para a vaga, me lembrei dela, no tempo em que era cheeleader. Ela sempre, sempre me chamou a atenção, entre todas as meninas. Mas há um tempo abandonou a carreira, voltou a estudar – fez curso de relações públicas ou secretariado executivo, não sei bem, e cá estamos nós. Minha esposa, que também conheceu ela antes, diz que ela está indo numa igreja aqui perto.

Gylmar – Bom, pela sua ênfase ao falar dela, não tenho dúvida que você já olhou para ela de outro modo...

Lucianno [corado, mas exasperado] – Ah, Gylmar! Faça-se me o favor! Vai dizer que você nunca olhou para outra mulher além da Halinne? Olha, esta conversa está por demais esquisita!

Gylmar – Meu amigo, Halinne sabe dos erros que cometi, e ainda cometo. Mas, deixe-me prosseguir. Oro para que você entenda esta conversa.

Halinne retorna com a secretária, trazendo uma bandeja com água, suco e petiscos, e ajuda-a a servir o marido e o amigo.

Gylmar [após um gole de suco] – Querido Lucianno, nesta conversa, você me disse que já agiu como um ladrão, um mentiroso e...

Lucianno [interrompe] – Opa! Como é que é?

Halinne [olhando amorosamente] – Querido Lucianno, não fique nervoso! Você logo entenderá nosso raciocínio. O que Gylmar que dizer é o seguinte: quando alguém rouba alguma coisa, seja grande ou pequena, não é chamado de ladrão?

Lucianno acena a cabeça, afirmativamente.

Halinne – E quando conta uma mentira, seja falar que não está em casa, seja esconder um crime, não é chamado mentiroso?

Mesmo temendo o rumo da conversa, ele concorda.

Gylmar [agora livre do petisco] – E, segundo a Palavra de Deus, quando olhamos para uma mulher, ou um homem – no caso das mulheres, com desejo, somos adúlteros. Se fôssemos julgados por Deus, com base somente nestes três, dos dez mandamentos, seríamos considerados...

Lucianno [conclui] – Culpados.

Halinne - Eu recebo uma punição quando desrespeito uma lei de trânsito, geralmente em forma de uma multa, que pesa bem no bolso. O preço que pagamos quando desobedecemos a Deus é a separação eterna d'Ele. Uma morte eterna. Não é um preço monetário, como acontece com a lei de trânsito, por exemplo.

Lucianno - Mas, deste jeito, como ficamos diante de Deus? O que vocês fizeram para conseguir ficar diante d'Ele, se você mesmo Gylmar me disse que ainda comete erros? Era por isto que chamei vocês. Da outra vez que conversamos, na festa de aniversário do Pedrinho, não entendi direito quando você falou para as crianças que o pecado é algo que faço, falo ou penso e que não agrada a Deus – Halinne, você foi uma boa professora, até agora lembro dos gestos!


Halinne [sorrindo] – E você é um aluno exemplar, mas acho que vamos ter que treinar mais um pouco. O pecado é aquilo que pensamos, falamos ou fazemos e que não agrada a Deus. Mais uma vez a Palavra se mostra verdadeira, como podemos ver aqui em Marcos [ela abre sua bíblia em Marcos 7: 20-23 e mostra para o amigo].

Gylmar [sorrindo] – Esta passagem fala do coração – e na Bíblia, o coração é o centro da nossa vida. Quando reconhecemos que nosso pecado - ou seja, o modo como vivemos, conforme meus pensamentos e ações, agindo como um 'imperador' de mim mesmo - nos afasta de Deus, e nos arrependemos disto [dos pecados], e confessamos isto a Deus, e nos voltamos para Ele, que nos fez... Quando cremos que Jesus Cristo foi enviado por Deus, e deu Sua própria vida para que, perdoados, possamos viver para sempre no céu, numa vida gloriosa e eterna...É assim que eu e Halinne, e muitos outros, conseguem ficar diante d'Ele...como Ele mesmo diz, em João 1:12: “Mas a todos quantos o receberam, àqueles que creem no seu nome, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus”.

Halinne [olhando Luciano com os olhos marejados] – Você entende, meu amigo querido? Podemos estar diante de Deus, porque aceitamos e depositamos nossas vidas, nossas esperanças, nas mãos de Jesus Cristo. Ele é o único capaz de nos perdoar os pecados, nos salvar da condenação que nosso pecado merece. Veja o que está escrito aqui em João 3:16-18 e 5:24.

Lucianno – Agora esta conversa fez sentido para mim...mas, ainda não entendi o que fazer para Cristo me aceitar....é assim que se diz?

Gylmar [olhando amorosamente para o amigo] – “Se com a tua boca confessares a Jesus como Senhor, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos serás salvo. Pois com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação”, [Romanos 10: 9 e 10]. Cristo já aceitou você, ao enviar Jesus Cristo para pagar o preço dos seus pecados e te reconciliar com Ele. Agora, a decisão mais importante de todos os tempos está com você.

Você aceita a Jesus Cristo, como seu único e suficiente Salvador e Senhor?

.
.
.


(*) Nota: Esta é uma obra de ficção. Nomes, personagens, fatos e lugares são frutos da minha imaginação e são usados de modo fictício. Qualquer semelhança com fatos reais ou qualquer pessoa é mera coincidência.
...
Obrigada por ter lido este post até aqui.

Irmãos, vamos orar para que não somente o comentarista que inspirou esta estória, mas que todos os nossos familiares, amigos, vizinhos, ou mesmo desconhecidos, possam ouvir e, principalmente, aceitar ao Senhor, tal como nós cremos.

“De sorte que a fé vem pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus” - Romanos 10:17

Um comentário:

Rosangela Lins Almeida disse...

Parabéns consegui prender minha atenção do começo ao fim. Continue escrevendo e que esta "ficção" seja realidade na vida de muitas pessoas