quinta-feira, 17 de setembro de 2009

...: Chá das Amigas - parte I :...


Graça e paz, amados! =]

No segundo sábado de cada mês, a igreja onde congrego tem uma atividade maravilhosa chamada Chá das Amigas. Neste dia, nós entoamos louvores, ouvimos e pregamos a salvação através de Cristo Jesus e depois, como temos que gastar nossa cota diária de 8.000 palavras [risos!], vamos ao Chá propriamente dito. =]

São momentos muito agradáveis onde podemos conhecer melhor as meninas que nos visitam, reforçar os laços de amizade entre as irmãs...todas saem de alma e corpo alimentados - muito bem alimentados, diga-se de passagem.

Como é bom poder parar, na correria do nosso dia-a-dia, para poder saborear as delícias da Palavra de Deus! Tirar um tempinho só para este relacionamento tão precioso! Mas, se podemos fazer isto também entre amigas, que maravilha é! =]

No último dia 12, o Senhor me abençoou com este estudo - que compartilhei com as amigas, e agora compartilho com vocês.

No amor de Cristo Jesus,

Andreia
.
.
.
O valor da persistência

Leitura: Mateus 15: 21 a 28 e Marcos 7: 24 a 30

O dicionário define a palavra Persistir como perseverar, conservar-se firme e constante num propósito, continuar, manter e permanecer.

Na história que lemos, gostaria de destacar [e aprender cada dia mais!] a ser perseverante como esta mulher, que a Bíblia não menciona o nome, somente sua origem: grega, siro-fenícia, habitante das cercanias de Canaã.

Com isto, fica claro que esta mulher era estrangeira, alheia não somente aos costumes mas, principalmente, às promessas do povo eleito de Deus, Israel.

A Bíblia nos informa que ela tinha uma filhinha que era atormentada por demônios. A mulher, ao ouvir falar de Jesus Cristo e, certamente, do que Ele era capaz de fazer, vai em busca dEle, com o objetivo de receber a cura para a criancinha.

No verso 22, de Mateus 15, é relatado que esta mulher clama, ou seja, ela grita, implora pela ajuda, mas Cristo não responde. Um comentário bíblico informa que Tiro e Sidom são cidades litorâneas do Mar Mediterrâneo, fora da terra de Israel. Quem já esteve perto do mar, ou mesmo de um rio, sabe que os sons ficam como que amplificados.

Então, pensem nesta mulher, gritando, implorando por ajuda neste cenário? Uma mulher estrangeira? Cristo não respondeu, mas os discípulos pediam (v 23, Mt 15): "despede-a". E ela continuava gritando atrás deles.

No verso 24, vemos que Cristo responde aos discípulos, e não à mulher. No verso seguinte, quando ela finalmente O alcança, ela se ajoelha aos pés de Jesus - se humilhando ainda mais - e apresenta seu pedido, de modo simples e direto: "Senhor, socorre-me!", está em Mt 15:25. Em Mc 7:26 diz que ela pediu que expulsasse o demônio de sua filha.

Mas, quando Cristo fala com ela, é como se um balde de água cheio de gelo a atingisse num dia frio (veja o verso 26). Mas, ela não desiste!! (v 27)

Em Mt 15: 28, toda a humilhação e dor desta mulher são recompensados: desde àquela hora a filha foi curada, e em Mc 7: 29 e 30, diz que a mulher constatou este milagre ao chegar em casa, e encontrar a filhinha deitada na cama.
.
.
.

...: Continua :...



Nenhum comentário: