quarta-feira, 16 de setembro de 2009

...: Compartilhando - conclusão :...

...: Conclusão :...

Uma quinta razão: sou dizimista porque assim me disciplino. O dízimo me disciplina a ter um orçamento, a cuidar dos meus bens, a pôr o coração na minha igreja (não estou pastoreando no momento – sou ovelha de meu irmão, o Pr Isaías Gomes Coelho), me faz saber que uma parte de meus bens está comprometida com um ideal espiritual.

Disciplina-me espiritualmente por me ensinar (ensino sempre provado) que aquele valor será suprido por Deus, de outra maneira. Por outro lado, reconheço que os dízimos devem ser bem administrados pela igreja. É dinheiro para a obra de Deus. Não pode ser malbaratado.

Preguei em uma igreja no exterior e almocei com um irmão que tinha, em época da supervalorização do dólar, um dízimo de dez mil dólares. Ele estava em crise, querendo aplicar o dízimo em outro lugar. Sua igreja não sustentava um missionário sequer, não tinha uma congregação e sequer um ponto de pregação.

Mas queria climatizar a quadra de esportes.

Alegando ser estrangeiro, de outra cultura, esquivei-me de opinar e desviei a conversa. Mas eu também agiria como ele.

O dízimo é santo na essência, na origem, na entrega, e deve ser santo no uso. Erra a igreja que esbanja recursos em banalidades, e não na obra. Mas o membro da igreja deve ser dizimista. Eu o sou.

Isto não é mérito ou ostentação. É apenas um fato corriqueiro, tão natural, que sequer deveria ser mencionado. E se o fiz foi porque muita gente me pediu opinião sobre o dízimo após ter assistido um vídeo no Youtube combatendo-o.

Agora sim, é ostentação. E com júbilo santo! Os que não querem devolver o dízimo, façam como meu filho Beny. Ele tem um sonho: chegar ao ponto de reter o dízimo para si, e dar 90% para o Reino.

Se você acha que o dízimo não é para a igreja, dê mais que ele. Afinal, os privilégios e a responsabilidade de viver sobre a graça são maiores.”

Referências complementares sobre o tema:

(a) II Co 9 – (b) III João versos 5 a 8 – (c) Ageu 1: 3 a 11 – (d) Pv 3: 9.

Um comentário:

Ciro Sanches Zibordi disse...

Prezada Andreia,

Parabéns pelo estudo sobre o dízimo e pelo excelente blog!

Em Cristo,

Ciro Sanches Zibordi