segunda-feira, 23 de novembro de 2009

...: Havia uma trave no meio do caminho... :...


Desde 5ª-feira (19/11) estou penando com um terçol – primeiro no olho esquerdo, e agora (23/11) no direito. Sempre os tive, mas nunca havia chegado a este ponto – nem neste lugar: bem no meio do olho.

Arde, dói, incomoda, atrapalha a minha visão – mesmo o que está bem à minha frente!

Depois do que me aconteceu, não tive como não pensar em Mt 7: 1 – 6. Eu creio que, aqui, Cristo condenava o julgamento como juízo de valor que fazemos das pessoas quando estas não agem de acordo com nossas expectativas, ou de acordo com nosso entendimento.

Em João 7:24, Cristo nos diz que não devemos julgar segundo a aparência, mas segundo, conforme a reta justiça – ou seja, conforme a Sua santa Palavra. A Bíblia é o parâmetro divino pelo qual devemos pautar a nossa vida, e daí fazer qualquer crítica – não julgamento de valor!

Nos versos de 3 a 5, de Mt 7, o Senhor Jesus Cristo nos mostra a necessidade da auto-crítica, do auto exame. Não é ‘curioso’ ver como somos benevolentes com as nossas falhas, mas implacáveis com as falhas dos outros?

Nestes versos, porém, o Senhor têm como trave [ou viga] a falha, o pecado do julgador, e como cisco a falha do julgado. Antes de criticar, precisamos nos examinar: Sl 119:9, Rm 8: 12 – 17.

Na TV, internet, revistas, músicas, filmes, livros, entre tantas outras mídias, e o tempo todo, há uma tentativa deliberada de nos convencer que nada é pecaminoso – quem faz isto é satanás, porque o mundo inteiro jaz no maligno, como nos alerta o apóstolo João, em I João 5:19.

Um autor chamado Herb Vander Lugt disse:

Uma atitude permissiva para com o mal vai nos levar a cair em pecado. Por isso, devemos lutar de forma radical com toda a sorte de maldade. Jesus foi tão longe a ponto de dizer que deveríamos arrancar o nosso olho, se ele nos conduz ao pecado [Mt 5:29]. Ele (Cristo) não quis dizer que devemos mutilar os nossos corpos, mas devemos fazer algo sério quando somos tentados a pecar.

Livros, revistas ou imagens de vídeo que despertam desejos maus, devem ser evitados deliberadamente.

É isto o que Paulo tinha em mente quando disse para “mortificardes as obras do corpo” [Rm 8:13]”

Amados, sabe quando conseguimos fazer isto? Segundo o autor Herb Vander Lugt, para evitar ser tentado pelo fruto proibido, permaneça longe do pomar do diabo.

Eu creio, conforme a Palavra, que quando nos esvaziamos das nossas vontades e nos enchemos do Espírito Santo de Deus, quando preferimos à vontade de Deus para nossas vidas: uma vontade boa, perfeita e agradável [cf Rm 12:2]

E sabe como nos enchemos do Espírito Santo? Quando preferimos a vontade de Deus?

...: continua :..

Nenhum comentário: