terça-feira, 13 de abril de 2010

...: Não diga... :...


Era madrugada. Eu já li esta passagem muitas vezes. Mas desta vez...

Lucas. O médico amado, como me ensinou meu amado irmão Pedro Guilherme [Meeeeeestre!]

No capítulo 18 do Livro que leva seu nome, versos 18 a 30, vemos a história de um jovem que queria saber como herdar a vida eterna. Fiquei imaginando se ele, o jovem, de repente acordou um dia e após ter lido Isaías [30:18], pensou: "não vou deixar o Senhor esperando mais um dia sequer para derramar Sua misericórdia sobre mim".

E lá foi ele.

Deve ter reunido toda a coragem que tinha, afinal tinha a intolerância implacável dos religiosos judeus, mas o assunto era importante demais, urgente, e quando viu o Senhor Jesus Cristo - de Quem ele certamente ouviu dizer que era o Messias há muito esperado, capaz de dar a resposta que ele buscava, disparou: - Bom Mestre, que hei de fazer para herdar a vida eterna?

O Senhor Jesus, então, além de reafirmar que somente Deus é o único bom, pergunta para o jovem sobre 5 dos 10 mandamentos.

Minha madrugada começou aí: por que estes cinco mandamentos?

E as respostas estavam na pergunta do jovem: "o que hei de fazer..."

Seu relacionamento com os outros, até que estava em ordem: não adulterou, não matou, nem furtou, tampouco prejudicou alguém com um testemunho falso, e honrou seu pai e sua mãe. Bom, é o que podemos entender, considerando que ele disse que "todas estas coisas tenho observado desde a minha mocidade".

O que ele podia fazer para viver em paz e ordem com os outros, ele fez. O problema estava no relacionamento dele com Deus.

Imagino este jovem judeu como uma pessoa plenamente ciente e cumpridora da Lei [destas 10 ao menos, o que, convenhamos, não é pouca coisa...]: sabia que somente Deus era o Senhor, não tomava Seu nome em vão - como até hoje muitos judeus fazem - nada de imagens de escultura, de desonrar o sábado.

Sendo rico [e muito rico, pelo jeito] também não devia cobiçar quaisquer coisas de alguém. Quanto à mulher, bom.... homem e jovem é homem e jovem em qualquer época e lugar do mundo....vai saber se olhou uma judia bonita, passeando cheirosa e com um lindo vestido pelas cercanias? [meninas sabem bem o poder de um bom perfume e um vestido!! risos]

Acho, até, que ele é que deveria ser bem cobiçado pelas mocinhas das redondezas....[se encontrar um bom partido é difícil até hoje, imaginem há mais de 2 mil anos, meninas!! risos]

Então, vamos conceder-lhe o benefício da dúvida e considerá-lo inocente - uma concessão razoável, considerando o texto: não é mencionado por Lucas que o rapaz tenha sido repreendido por descumprir este mandamento, ou os outros.

Suponho que este jovem também considerava-se inocente, e merecedor da vida eterna. De repente, foi "consultar" Jesus Cristo só para ter certeza. Imagino que o jovem pensou que se Jesus Cristo fosse mesmo o Messias que ele esperava, seria bom "fazer uma média", como se diz aqui no Brasil.

Mas, faltava uma coisa...

...: continua :...

Nenhum comentário: