segunda-feira, 19 de abril de 2010

...: ...que não avisei ... :...


- Falta uma coisa?

Na versão de Lucas, tem-se a impressão que
o jovem não deve ter tido nem tempo de pensar no que faltava em sua vida.

"Vende tudo o que tens, reparte-o com os pobres, e terás um tesouro no céu. Depois vem, e segue-Me" disse-Lhe Jesus Cristo, olhando-o com amor - conforme a observação de Marcos sobre este acontecimento [Mc 10: 21].

O que este jovem pôde fazer para viver bem com os outros, ele fez - contanto que isto não significasse renúncia, sacrifício, envolvimento com as pessoas.... Nossa vida pode ter uma aparência normal, mesmo para o mais atento observador. Mas só o Senhor sabe o que se passa em nosso coração [Sl 139, Mc 8:17, Lc 5: 22].

A versão de Mateus [19: 16-30] deste diálogo entre Cristo e o jovem rico, mostra-nos que o jovem faz uma pergunta: "que me falta ainda?". Deus tirou nosso pecado, não nosso cérebro, nem a consciência.

Quer expressemos isto em voz alta ou não, sabemos perfeitamente quando cometemos erros, bem como sabemos quando nos falta algo. Mas, ah, como é duro reconhecer nossas misérias, nossos pecados e, principalmente, abandoná-los...

"Mas, ouvindo ele isto, encheu-se de tristeza, porque era muito rico". [Lc 18: 23]. Mateus fala que o jovem retirou-se, triste, e Marcos acrescenta que saiu contrariado.

"A tristeza segundo Deus opera arrependimento para a salvação, o qual não traz pesar, mas a tristeza do mundo opera a morte" - 2 Co 7:10

Não sabemos mais deste jovem rico. Mas é doloroso pensar que ele esteve diante de uma oportunidade ímpar, privilegiada, e saiu dela contrariado, triste. Imagino que ele saiu assim porque supunha não precisar fazer mais nada para ser salvo - ou, caso precisasse, que fosse pouco.

Mas não há obra ou trabalho que possamos fazer para salvar a nós mesmos. "Pois é pela graça que sois salvos, por meio da fé - e isto não vem de vós, é dom de Deus - não das obras, para que ninguém se glorie " [Ef 2:8 e 9]

Jesus Cristo, vendo que o jovem ficou muito triste, então, afirmou: "quão dificilmente entrarão no reino dos céus os que têm riquezas", e enfatizou: "deveras , é mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que entrar um rico no reino de Deus" [Lc 18: 24 e 25].

A questão, obviamente, não era a quantidade de bens ou dinheiro que o jovem, ou qualquer pessoa, possuía. Zaqueu era rico, mas a salvação chegou a sua casa [Lc 19: 1 - 10].


A questão, para mim, é: o que fazemos com o amor que o Senhor nos dá - lembra que o Senhor olhou para ele com amor? A quem oferecemos nosso amor, nossa esperança, nossa vida, enfim, nossas verdadeiras riquezas aqui na terra?

Os discípulos, ao ouvirem isto, perguntaram quem podería salvar-se. Também não entenderam o que o Senhor realmente queria do jovem rico, deles, e quer ainda hoje de cada um de nós. E o manso Cordeiro responde-lhes que
"as coisas que são impossíveis aos homens são possíveis a Deus" [Lc 18: 27].

.
.
.

Como disse, não sabemos o que aconteceu com este jovem. Mas, ele teve uma oportunidade de salvação. Ele nunca poderá dizer que não sabia nada a respeito.

Se é a primeira vez que você aparece neste Quintal, seja muito bem-vindo. Espero que volte outras vezes, mas, espero mais ainda que você desfrute desta salvação incomparável e preciosa que só temos em Jesus Cristo.

Que o Senhor Deus, que vive e reina para sempre, possa completar esta palavra nos nossos corações, e transformar vidas para honra e glória de seu santo e bendito Nome.

No amor de Cristo Jesus, Senhor e Salvador nosso,

Andreia =]

Nenhum comentário: