quinta-feira, 18 de novembro de 2010

...: A mecânica dos solos - parte 1 :...

Para esta série, a leitura básica é Mateus 13: 3 - 23; 24 - 30.


Dias atrás, assisti a dois filmes,
O livro de Eli e o abençoado Fireproof [À prova de fogo].

O primeiro narra a saga de um homem com um chamado de Deus para, literalmente, levar a Palavra - ou o livro que dá nome ao título do filme - de onde ele estava, provavelmente o centro dos Estados Unidos, até a costa oeste, onde fica a única editora de livros, em grande parte destruídos após uma guerra que devastou o então mundo conhecido.

Nesta longa e perigosa jornada, Eli diariamente se alimentava da Palavra de Deus, guardada como jóia preciosa, tesouro incomparável...

O segundo filme fala de relacionamentos - o de cada pessoa com Deus, o das pessoas entre si - e destaca que a essência destas ligações, em termos verticais e horizontais, está em Deus. E, novamente, a Palavra é levada e apreciada por àquele que é, ao mesmo tempo, semeador e semeado.

No texto base, o Senhor Jesus Cristo fala do privilégio que podemos desfrutar, "
[...] porque a vós outros é dado conhecer os mistérios do reino dos céus [...]", como lemos em Mateus 13:11. É uma condição tão especial, que o Senhor ainda diz, nos versos 16 e 17 deste mesmo capítulo:

"Bem-aventurados, porém os vossos olhos, porque veem; e os vossos ouvidos, porque ouvem. Pois em verdade vos digo que muitos profetas e justos
desejaram ver o que vedes e não viram, e ouvir o que ouvis e não ouviram".

Mas, em que condições está o solo do nosso coração?

Você já reparou naquele solo que fica à margem das rodovias e estradas, quando fez alguma viagem terrestre? O 1º solo da parábola do semeador é deste tipo. Não produz nada, no máximo, ervas daninhas. Recebe muita poluição dos carros e outros veículos que por ali circulam, e também muito lixo.

A versão desta parábola relatada em Marcos [4: 15], na tradução da Bíblia Viva, fala que este tipo de terra equivale a um coração duro. E o maligno vem tirar a Palavra, porque sabe que é o único martelo que quebra, esmiúça a dureza do nosso coração.

As traduções mais conhecidas trazem, em Jeremias 23: 29 - "
Porventura a minha palavra não é como o fogo, diz o SENHOR, e como um martelo que esmiúça a pedra?"

A versão da Bíblia Viva, deste mesmo verso, diz: "minha palavra queima como fogo. Ela é como um martelo que quebra a pedra mais dura, diz o Senhor".

O objetivo do inimigo é roubar, matar e destruir [João 10: 10 a]. Em Deus, por Cristo, temos vida, e vida em abundância [João 10: 10 b]. Somente em um coração livre de sua dureza e impureza, a Palavra pode prosperar, como a semente que brota em boa terra.

Em Isaías 55: 10 e 11, lemos: "
10 - Porque, assim como desce a chuva e a neve dos céus, e para lá não tornam, mas regam a terra, e a fazem produzir, e brotar, e dar semente ao semeador, e pão ao que come,
11 - assim será a minha palavra, que sair da minha boca; ela não voltará para mim vazia, antes fará o que me apraz, e prosperará naquilo para que a enviei.
"

Costumamos parar na primeira parte do verso 11 - que a palavra não volta vazia. E não volta mesmo. Mas, amados, não nos esqueçamos da continuação do verso: a palavra prosperará.

Vamos continuar levando a semente. O Senhor é quem a fará prosperar.

...: continua :...

Um comentário:

Aline disse...

Oi, Andreia!
Obrigada pela visita ao meu blog. Escrevo lá como um diário [não tão diariamente assim. rs..] aberto, porém às vezes penso que lido por poucos.. mas que bom saber que de alguma forma o que escrevi falou ao seu coração... Glória a Deus!
Que bom que está interessada em fazer o Veredas Antigas... não perca essa oportunidade aí na sua cidade, é um seminário que transforma corações, restaura relacionamentos e abençoa gerações.. Muito bom mesmo!
Seu blog é bem edificante, parabéns!
No amor de Cristo e que Ele te abençoe mais do que tem pedido ou pensado...
Aline.