terça-feira, 19 de abril de 2011

...: Dias melhores - parte 2 :...

E o nosso caminho rumo à vitória sobre o pecado, sobre a morte eterna - consequência que surgiu após o primeiro de muitos pecados - começou a ser construído em um jardim: o Jardim do Getsêmani, que fica no Monte das Oliveiras. Leia Marcos 14: 32 - 39 e Lucas 22: 39 - 48.

Neste jardim, onde se registrou tamanha dor e sofrimento, também é registrada a flor da ressurreição: morre-se para o pecado e suas consequências; há renascimento, ressureição para uma vida nova, abundante e eterna, em um novo jardim: veja Isaías 35: 1 - 10 e 65: 17 - 19, 21, 22 e 25, na versão da Bíblia Viva, diz:

"17 - Prestem atenção, Eu estou criando novos céus e nova terra - tão maravilhosos que ninguém se lembrará da terra e do céu que existem hoje.
18 - Alegrem-se! Cantem de alegria pelas coisas que Eu estou criando! Vou transformar Jerusalém em um lugar de imensa alegria, e darei muita felicidade ao seu povo!
19 - Jerusalém será a minha fonte de prazer, e Eu me alegrarei muito com o meu povo. Lá, nunca mais se ouvirão o choro e os gritos de tristeza e dor.
21 e 22 - Naqueles dias, quem construir uma casa vai viver nela - pois não será destruída pelos exércitos invasores, como aconteceu no passado. Eles plantarão vinhas e comerão as uvas - pois elas não serão tomadas à força pelos inimigos. O meu povo viverá tanto quanto as árvores, e aproveitará até o fim tudo o que conseguiram com muito esforço.
25 - O lobo e o cordeiro vão pastar juntos, o leão vai comer palha com o boi, e as cobrasvenenosas não atacarão os homens. Naquele dia não vai haver qualquer violência ou maldade em todo o meu Santo Monte, diz o Senhor."

O deserto, em alguns momentos, significa a vida sem Deus - mas Ele é poderoso para transformar qualquer deserto em lugar habitável, de refrigério e descanso, conforme vemos em Isaías 40: 1, 2, 4 e 5, e 58: 11, que diz:

"E o SENHOR te guiará continuamente, e fartará a tua alma em lugares áridos, e fortificará os teus ossos; e serás como um jardim regado, e como um manancial, cujas águas nunca faltam".

Ou, ainda, na versão da Bíblia Viva:

"O Senhor guiará vocês para sempre. Mesmo em situações difíceis, Ele dará força e alegria; vocês serão como um jardim bem regado, como uma fonte de onde a água não pára de correr".

Para que esta transformação de deserto para manancial ocorra, vá ao encontro do Senhor Jesus Cristo. Vá àquele outro 'jardim', o da Caveira, ou Gólgota. Achegue-se junto à cruz, e deposite sua vida ali. E receba, pela fé neste sacrifício, a salvação da sua alma e a vida eterna com Deus.

...: Continua :...

quarta-feira, 13 de abril de 2011

...: Dias melhores - parte 1 :...


Oie! :)

Vocês gostam de jardim? Eu amo! :)

Na cultura dos povos orientais, o jardim era o agradável lugar de repouso, refrigério. A Bíblia da Mulher, da abençoada Editora Mundo Cristão, descreve que o jardim era "(...) como um terreno fechado ou murado com vegetação e água, sombra e silêncio, beleza e utilidade".

O Senhor Deus criou o homem e a mulher e os pôs em um jardim, como é possível ver em Gênesis 2: 7 - 10, 15 e 18. Neste lugar, o Éden - o Jardim de Deus, conforme Ezequiel 28: 13 - o Senhor proveu tudo o que o homem precisava: água, alimento, proteção, companhia, e o melhor de tudo: um espaço e tempo especial para o encontro diário.

Mas, neste cenário de beleza ímpar e com registro de criações singulares, foi registrada, também, a queda do homem pela desobediência à Palavra de Deus. Vejamos Gênesis 3: 1 - 7.

Amados, vocês já repararam que, ao desobedecer uma ordem, dada por uma pessoa que exerce autoridade, e ao ser descoberto tal ato, duas reações se sucedem, quase que simultaneamente - o desejo de se esconder ou fugir da presença da autoridade e vergonha?

Vejamos Gênesis 3: 8 - 11: "E ouviram a voz do SENHOR Deus, que passeava no jardim pela viração do dia; e esconderam-se Adão e sua mulher da presença do SENHOR Deus, entre as árvores do jardim.
E chamou o SENHOR Deus a Adão, e disse-lhe: Onde estás?
E ele disse: Ouvi a tua voz soar no jardim, e temi, porque estava nu, e escondi-me.
E Deus disse: Quem te mostrou que estavas nu? Comeste tu da árvore de que te ordenei que não comesses?"

Nos versos 12 - 24 deste mesmo capítulo, constatamos as consequências da desobediência a Deus. E a sentença proferida naquele jardim, contra nossos primeiros pais, vale até hoje. Quebras de ordens ou mandamentos sugerem, automaticamente para nós, a ideia de punição.

Quando eu tinha uns 3 anos, aproximadamente, meus pais compraram uma televisão, daquelas que tinha um botão para acionar o canal desejado, e a parte traseira com a grade de ventilação mais aberta.

Eles colocaram o televisor na cômoda - que ficava aos pés do meu berço - e me deram as costas por poucos minutos, o suficiente para eu colocar todas as moedinhas que estavam nos bolsinhos da minha roupa nas aberturas da tampa traseira da televisão...e arrancar o botão de controle também.... :}

Claro que levei umas boas palmadas! [risos]. Mas minha mãe, vendo o tanto que eu chorava sentida, e percebendo que eu entendi o erro, ainda que não tenha feito por mal, cuidou amorosamente de mim, me acalmando até que parei de chorar.

Nosso Pai celeste nos ama infinitamente mais do que nossos pais naturais. Nossos pecados entristecem o Pai, deixam-No irado, mas Seu amor é incomparavelmente maior. E a prova de Seu amor por nós chama-se Jesus Cristo.

E Seu Filho Unigênito, Jesus Cristo, foi castigado para que eu e você possamos experimentar amor incondicional, perdão, paz, reconciliação, liberdade...Vejamos Isaías 53: 4 - 7a e 12b, na versão da Bíblia Viva.

"Apesar disso, Ele colocou sobre Si mesmo as nossas dores, Ele mesmo carregou nosso sofrimento. E nós ficamos pensando que Ele estava sendo castigado por Deus por causa de Seus próprios pecados!
A verdade, porém, é esta: Ele foi ferido por causa de nossos pecados; Seu corpo foi maltratado por causa de nossas desobediências. Ele foi castigado para nós termos paz; Ele foi chicoteado - e nós fomos curados!
Nós andávamos perdidos e espalhados como ovelhas! Nós abandonamos os caminhos de Deus e seguimos os nossos próprios caminhos; apesar disso Deus jogou sobre Ele a culpa e os pecados de cada um de nós. Ele foi maltratado e humilhado, mas não disse uma única palavra!"

...: continua :...