domingo, 18 de setembro de 2011

...: E então veremos face a face - final :...


Sabemos que o Senhor Deus é pronto para perdoar e esquecer – veja Miquéias 7: 18, 19; Hebreus 8:12.

Quanto a nós...

Perdoamos por ser mandamento – Marcos 11:25, perdoamos para ser perdoados – Mateus 6:12, perdoamos para não dar ocasião ao inimigo de nossas almas – 2 Coríntios 2:10, 11, mas esquecer...

Sei que o Senhor Deus concedeu-me uma memória muito boa [risos], mas, como José – em Gênesis 41: 51 – tenho pedido para o Senhor me fazer esquecer certas coisas, retendo só o que é bom.

Não sei quanto tempo depois este capítulo da história de Davi foi escrito e dado a conhecer aos israelitas – segundo a Bíblia da Mulher, da Editora Mundo Cristão e Sociedade Bíblica do Brasil, 1 e 2 Samuel são um único livro, na tradição judaica.

Ainda segundo a supracitada Bíblia, considerando que “as últimas palavras de Davi” foram registradas, os livros não poderiam ter sido completados antes da morte dele [2 Samuel 23:1]. Assim, a maioria dos estudiosos situa a data de composição dos livros entre a morte de Davi e o cativeiro assírio – eu creio, porém, que estes atos só foram relatados após a redenção concedida por Deus.

Davi registrou sua oração de arrependimento em Salmos 51 – e neste capítulo de Salmos, não é mencionado qual pecado foi cometido, somente que Davi cometeu pecado, que transgrediu e ofendeu ao Senhor Deus. [1]

Ninguém está livre de cair em pecado, mas não devemos permanecer em pecado, antes devemos confessá-lo, primeiramente ao Senhor Deus, e, pelo menos, para um irmão que seja [veja I João 1:9, Tiago 5:16] e, sobretudo, abandoná-lo – não pelo medo da pena, mas como sinal da obediência ao Senhor.

“Porque agora vemos como por espelho, em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei plenamente, como também sou plenamente conhecido. Agora, pois, permanecem a fé, a esperança, o amor, estes três; mas o maior destes é o amor.” I Coríntios 13: 12 e 13.


Sei que Paulo, neste capítulo bem como o que o precede, tratava da questão dos dons espirituais. Mas o fato é que, ainda hoje vemos e sabemos em parte. A história de Davi, para mim, serviu de espelho, para mostrar o que pode acontecer se eu e você insistirmos no erro.


Mas chegará o dia em que estaremos face a face com o Senhor Deus. Hoje, temos a fé, a esperança e o amor – e continuaremos a ter o mais importante, o amor, de acordo com o que decidirmos hoje em relação ao nosso relacionamento com Deus.


Hoje é tempo de arrependimento e abandono do pecado. Nossa reconciliação deve ser feita hoje, agora, porque o pecado não faz parte do céu, onde o Senhor Deus habita.



Então, ou estaremos diante de Deus como pecadores justificados pelo sangue de Jesus Cristo, aguardando para saber qual galardão nos espera, ou como pecadores que aguardam a sentença de condenação. Considere Apocalipse 20: 11 – 15.


Concluo este post com a leitura de 2 Pedro 3, versão da Bíblia Viva, na esperança de que possa abrir os olhos, o coração e a mente daqueles que ainda não conhecem ao Senhor Deus, e para estimular os irmãos a que permaneçamos firmes na fé, aguardando a tão grande e incomparável manifestação de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.


Que o Senhor Deus possa completar esta Palavra em nossos corações, em nome de Cristo Jesus. Amém.

“1 e 2 - Esta é minha segunda carta a vocês, queridos irmãos, e em ambas eu tenho procurado relembrar-lhes - se assim me deixarem - fatos que vocês já conhecem: fatos que aprenderam dos santos profetas e de nós, os apóstolos, que lhes trouxemos as palavras do nosso Senhor e Salvador.

3 - Em primeiro lugar, desejo lembrar-lhes que nos últimos dias haverá escarnecedores que farão todo o mal que eles mesmos puderem imaginar, e se rirão da verdade.

4 - Esta será a sua maneira de argumentar: "Jesus prometeu voltar, não foi? Então, onde está Ele? Ele não virá nunca! Ora, até onde qualquer um pode lembrar-se, tudo tem permanecido exatamente como era desde o primeiro dia da criação".

5 e 6 - Eles esquecem deliberadamente este fato: Deus destruiu o mundo com um poderoso dilúvio, muito tempo depois que Ele tinha feito os céus pela palavra da sua ordem, e tinha utilizado as águas para formar a terra e cercá-la.

7 - E Deus ordenou que a terra e os céus sejam reservados para uma grande fogueira no dia do juízo, quando todos os homens ímpios perecerão.

8 - Mas não se esqueçam disto, queridos amigos: que um dia, ou de hoje a mil anos, é para o Senhor como o dia de amanhã.

9 - Ele não está sendo vagaroso com a sua volta prometida, embora por vezes pareça assim. Mas Ele está esperando, pela boa razão de que Ele não quer que ninguém pereça, e está dando mais tempo para os pecadores se arrependerem.

10 - O dia do Senhor virá com toda a certeza, tão inesperadamente como um ladrão, e então os céus desaparecerão com um terrível estrondo, e os corpos celestes serão consumidos pelo fogo e a terra e tudo quanto está nela será queimado.

11 - E assim, já que tudo ao nosso redor se derreterá, que vidas santas e piedosas nós devemos viver!

12 - Vocês devem aguardar ansiosamente aquele dia e apressá-lo - o dia quando Deus ateará fogo aos céus, e os corpos celestes se derreterão e desaparecerão em chamas.

13 - Nós, porém, estamos aguardando ansiosamente a promessa divina de novos céus e nova terra depois disso tudo, onde só existirá a virtude.

14 - Queridos amigos, enquanto vocês estão esperando que estas coisas aconteçam e que Ele venha, esforcem-se para viver sem pecar; e andem em paz com todo mundo, a fim de que Ele se agrade de vocês quando voltar.

15 e 16 - E lembrem-se por que Ele está esperando. Ele nos está dando tempo para anunciar a sua mensagem de salvação aos outros. O nosso amado irmão Paulo já falou com grande sabedoria acerca destas mesmas coisas em muitas das suas cartas. Algumas explicações dele não são fáceis de entender, e há pessoas intencionalmente ignorantes que sempre estão pretendendo alguma interpretação fora do comum; eles torceram as cartas dele de todos os lados, para significarem uma coisa completamente diferente daquilo que ele queria dizer, tal como fazem com as outras partes das Escrituras, mas o resultado é a ruína deles.

17 - Eu estou advertindo vocês de antemão, queridos irmãos, para que possam vigiar e não ser arrebatados pelos erros desses homens maus, a fim de que vocês mesmos não sejam confundidos também.

18 - Mas cresçam em força espiritual e conheçam melhor ao nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A Ele seja toda glória e honra sublime, tanto agora como eternamente. Adeus. Pedro”


-------

[1] O pecado de adultério cometido por Davi é exposto nas instruções para o dirigente do louvor: "Ao dirigente: Cântico de Davi, em vindo a ele Natã, o profeta, depois de ter [Davi] se deitado com Bate-Seba", mas não no corpo do Salmos 51.

terça-feira, 6 de setembro de 2011

...: E então veremos face a face - II :...


Uma outra tradução deste verso 24 de 1 Timóteo 5, pode nos ajudar a entender melhor a questão:

“Os pecados de alguns são evidentes, mesmo antes de serem submetidos ao julgamento, ao passo que os pecados de outros se manifestam posteriormente” [NVI]

“Lembre-se que alguns homens, até mesmo pastores, levam uma vida pecaminosa, e todo mundo sabe disso. Em tais casos você poderá fazer alguma coisa. Em outros, porém, somente o dia do juízo revelará a terrível verdade” [Bíblia Viva]

No caso de Davi, consideremos que entre o adultério com Bate-Seba e a notícia da gravidez tenha se passado um mês, e mais outro, entre o plano de Davi de cobrir seu pecado – fazendo Urias se reencontrar com a sua mulher – e, em virtude deste fracasso, condená-lo à morte.

Não sabemos quanto tempo Bate-Seba pranteou a morte do marido, mas é razoável supor que Davi a tenha chamado para ser sua esposa antes que sua gravidez ficasse evidente. Em 2 Samuel 11:12, vemos que Davi a toma por esposa e ela dá a luz um filho – e, por certo, ele pode ter imaginado que seu problema estava resolvido.

E não vemos registro de que tenha pedido perdão a Deus por nenhum dos pecados cometidos – adultério e homicídio – que condenavam à morte seu autor, conforme vemos em Levítico 18:20, 20:10, 24:17, Deuteronômio 5:17, 18, 22:22, Provérbios 6:29, 32, Gênesis 3: 5,6.

Como comentei na primeira parte do post, pessoas próximas poderiam saber da história mas deviam temer a Davi e se calaram. Mas, fiquei imaginando que, pelo menos 11 meses se passaram entre o começo e a nova fase deste capítulo da história da vida deste homem segundo o coração de Deus.

Em Isaías 30:18, lemos que o Senhor Deus espera para ter misericórdia de nós. À luz desta Palavra, pensei: “Davi teve tempo para ter se arrependido dos seus pecados. Ele conhecia ao Senhor Deus como poucos conheceram, tinha intimidade com Ele, por que não O procurou?”

Já que Davi não procurou o Senhor, o Senhor procurou a Davi, através do Seu servo Natã – veja 2 Samuel 12:1. Foi o momento de revelação do pecado de Davi diante de Deus, para juízo e declaração de sentença – o que afetou todo o seu reinado.

Todos nós cometemos pecados, todos os dias. E, todos os dias, temos a oportunidade de pedir e de receber perdão do Senhor Deus, a Quem ofendemos primeiramente. Davi, a seu tempo, podia temer a morte, ou achar que tinha consertado sua falha ao se casar com Bate-Seba.

Nós, hoje, podemos nos esconder dos outros por vergonha, medo de rejeição, tristeza pelo pecado cometido e pelas conseqüências que podem trazer para aqueles a quem amamos, por exemplo.

Tais motivos, porém, não devem nos impedir de buscar o perdão do Senhor e a reconciliação com Ele – porque nossos pecados fazem separação entre nós e o Eterno, conforme está escrito em Isaías 59:2 – lembrando que nosso arrependimento deve ser marcado pelo abandono da prática e da permanência do e no pecado.

Diante do profeta, Davi admitiu e confessou seu pecado a Deus, suplicou perdão, e imediatamente foi perdoado, conforme 2 Samuel 12: 13.

Particularmente – e faço questão de deixar explícito que esta opinião é estritamente pessoal, considerando o que leio da Bíblia e, sim, preciso ler sempre e sempre, mais e mais – acredito que há casos e casos para se fazer uma confissão pública de pecado.

O que não isenta ou desculpa o irmão ciente de seu pecado de se confessar, primeiramente a Deus, e a um irmão maduro na fé e de confiança para ajudá-lo a enfrentar o problema e abandonar definitivamente o pecado.

...: Continua :...