segunda-feira, 12 de novembro de 2012

...: Tu, Ele, Nós - final :...


Dizem que uma imagem vale mais do que mil palavras.

Nem sempre. Mas esta, confesso, veio bem a calhar, pois é uma boa ilustração para os últimos e tristes termos relatados em Gálatas 5:19 - 21 - inimizades, ciúmes, iras, discórdias e invejas

Achei curioso o fato destas palavras estarem todas assim, no plural. Creio, agora, que é justamente pela situação em que se usa - quando se refere ao Corpo de Cristo, à Igreja. E para que fique ainda mais claro, vamos relembrar Colossenses 1: 18a e I Coríntios 12: 12, transcritos abaixo:

"Ele é a cabeça do corpo, da igreja. [...]"

Porque, como o corpo é um todo tendo muitos membros, e todos os membros do corpo, embora muitos, formam um só corpo, assim também é Cristo.
1 Coríntios 12:12
"Porque, assim como o corpo é um e tem muitos membros, e todos os membros, sendo muitos, constituem um só corpo, assim também com respeito a Cristo."

Uma queda, provocada por descuido, imprudência, negligência ou imperícia, nossa ou de outros, pode provocar uma fratura. Independentemente do motivo, no Corpo de Cristo, uma queda sempre produz uma fratura. Para saber se é tratável ou não, só se reconhecer o problema e aceitar fazer um tratamento.

Parece pouco razoável imaginar que alguém, com um membro do corpo quebrado, vá recusar tratamento. Mas fazemos isto quando nos recusamos a enxergar em nós, por exemplo, um sentimento de aversão ou hostilidade em relação a um irmão, ou grupo de irmãos, ao que o dicionário define por inimizade

Se somada à aversão e hostilidade surge o medo [baseado em motivos reais ou imaginários] da perda da pessoa outrora querida, se há aborrecimento em compartilhar a companhia do irmão ou irmã com outras pessoas, ou suspeita de que esta é infiel no relacionamento fraternal, temos os ciúmes - sentimento que é "duro como a sepultura" [Cantares 8: 6c]. 

De repente, não é o caso. Aconteceu alguma situação, ou não aconteceu, que te deixou com raiva. E o problema não foi tratado. E o que era para ter passado ali, se transformou em ressentimento, indignação, rancor. Tanto desgosto, tanta ira

Sim, a Palavra diz "irai-vos", mas continua recomendando "e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira" [Efésios 4:26]. Mas, se relutamos em nos submeter e obedecer ao mandamento de Colossenses 3:13, chegamos a outra dura palavra citada aos Gálatas, a discórdia

Conflitos não resolvidos, seja sobre o tema que for, podem causar discórdia, dissensão, a tal ponto que se transforma em separação. Como muitos, um conflito que surge no coração, se manifesta em nossos pensamentos e ações. Não à toa a Palavra nos exorta "sobretudo o que se deve guardar, guarda o coração, porque dele procedem as fontes da vida" [Provérbios 4:23].

Podemos descuidar do nosso coração, e permitir que a raiz de amargura floresça, nos pertube e venha a contaminar a muitos [Hebreus 12: 15b]. Nos pequenos exemplos citados antes, pessoas iracundas, ciumentas, iradas e que discordam não escondem que são ou se sentem assim.

Mas você conhece alguém que admita que é uma pessoa invejosa?

A inveja mais do que o desejo de obter os bens ou usufruir a felicidade de outra pessoa, é um grande sintoma de ingratidão para com o Senhor Deus, e de desconhecimento de si mesmo, de saber o que o satisfaz.

E, aqui, não estou dizendo da inveja que dura um momento, que quando você percebe, pede perdão a Deus e para que Ele guarde seu coração - e isto vale para as outras situações citadas.

O problema é quando isto se transforma em uma rotina. Quando se dá a desculpa que é "da personalidade", ou tem-se a tal síndrome de Gabriela - eu nasci assim, eu cresci assim, eu sou mesmo assim, vou ser sempre assim...

Especialmente para esta situação, mas também para as outras, se o irmão ou irmã não reconhece que permitiu que esta raiz florecesse em seu coração, e que isto tem contaminado a muitos, não só impede que a cura venha sobre si, como prejudica o relacionamento no Corpo de Cristo. 
 
Destes frutos da carne citados acima, poucos como a inveja deixam uma ferida tão séria - um membro amputado. A separação ocorre ou porquê o invejoso se considera vítima e se afasta da Igreja, ou pelo fato de que é muito difícil conviver com uma pessoa invejosa - e os outros membros se afastam. 

O começo de Hebreus 12:15 diz: "Tendo cuidado para que ninguém se prive da graça de Deus [...]". Todos os frutos da carne citados em Gálatas, e em tantas outras passagens bíblicas, podem ser extraídos, eliminados, da nossa vida pela incomparável graça de Deus. 

Tenhamos cuidado para não nos privarmos - deixarmos de aproveitar, compartilhar, conviver com intimidade - de tão grande amor e favor do Senhor Deus, revelado em Cristo Jesus, nosso Salvador.
 
Concluo esta série de post com a leitura de Gálatas 5: 24, 25 e 6: 8, orando para que o Senhor nosso Deus, em Cristo Jesus, nos liberte de todo mal, e complete este estudo em nossos corações. Amém.

"E os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne, com suas paixões e concupiscências. Se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito. [...]
Porque o que semeia para a sua própria carne da carne colherá corrupção; mas o que semeia para o Espírito do Espírito colherá vida eterna"

 


sábado, 3 de novembro de 2012

...: Tu, Ele, Nós - parte 2 :...


Você se lembra de parte de um ditado popular que diz sobre "atirar pedra na cruz"? É isto o que me veio à mente ao ler estas frases de Gálatas 5:19 - 21: idolatria, feitiçaria, dissensões, facções e porfia. Quando agimos conforme estas frases, pecamos diretamente contra o Senhor Deus e a fé em Cristo Jesus. Atiramos pedras na cruz.

Costumamos ler estas frases e pensar no sentido mais básico, comum, destas expressões. Ao pensarmos no conceito de idolatria, por exemplo, afirmamos que é a 'adoração de ídolos'. E não é errado. Mas vai muito além de se ajoelhar diante de uma imagem, de madeira, gesso, ou seja lá que material for. 

Já aconteceu de você trabalhar e outra pessoa levar o crédito, e receber todos os louros, a atenção e agradecimentos? É claro que o exemplo é bem simplista, mas a ideia é praticamente esta. O Senhor Deus nos deu tudo, absolutamente tudo. Mas, damos crédito à 'nossa força de vontade', ao dinheiro, à formação acadêmica, a outros e falsos deuses...colocamo-os em primeiro lugar na nossa vida. Em êxodo 20: 3-6 há instruções claríssimas para evitar cair neste tipo de desobediência. 

Quanto à feitiçaria, a cultura, nas diversas expressões de mídia, têm tentado nos convencer de que são simplesmente estórias, entretenimento - já repararam que as bruxas costumam ser mulheres simpáticas, que fazem coisas estranhas mas sempre querendo coisas boas para as outras, e com roupas engraçadas? Ou, mais recentemente, crianças/adolescentes que vivem em um mundo paralelo, e que, na verdade, usam uma "feitiçaria boa" para combater uma "feitiçaria má"?.

Mas não há nada de engraçado ou bom na feitiçaria. O dicionário da Bíblia de Almeida definine assim a feitiçaria: "forma de magia em que se usam certos atos e palavras e a invocação de espíritos ou demônios a fim de prever o futuro ou controlar pessoas e acontecimentos" [pp 71]. Sobre magia o dicionário esclarece: "[...] a magia pretende conhecer o futuro, encontrar ajuda para os problemas da vida e realizar coisas fora do comum." [pp 104].

Aliás, manifestações culturais são o tipo de assunto que costuma causar dissensão, ou discórdia, nas igrejas. Algumas traduções usam ainda a palavra sedição. O dicionário Aulete definine dissensão como "característica ou situação do que diverge, contrasta, se opõe [...]". Em resumo, revolta, rebelião, contra as ordens e mandamentos do Senhor.  

Amados, como disse antes quando cometemos pecado, qualquer pecado, contra o Senhor Deus o cometemos - e acredito que a ênfase de Paulo aos Gálatas era justamente esta. Uma ação discordante, de oposição, começa bem antes de sua manifestação visível - mais um exemplo simplista: o divórcio tem início bem antes do comunicado público daqueles que se separam. Ou seja, ainda que percebamos a dissensão quando se dá entre os irmãos, seu início foi anterior ao fato perceptível.

Assim também ocorre com a facção, ou heresia, como consta em outras traduçõesAlguns estudos sugerem que a facção é derivada da dissensão, e acredito que seja razoável supor assim, ainda que, particularmente, tenha o entendimento que a dissensão se manifesta como oposição direta ao Senhor Deus, enquanto que a heresia estabelece um certo partidarismo, a escolha por um lado. Ambas, porém, estão sempre do lado contra a Deus.

Finalmente, temos a porfia, no dicionário bíblico traduzida simplesmente por 'discussão, briga'. Gostei muito de uma definição dada pelo dicionário Aulete, que acredito ser mais aplicável à advertência de Paulo aos irmãos da Galácia: "insistência infundada e irrazoável; obstinação; teimosia" [grifos do dicionário, e mantidos na citação]

É aqui que acredito que reside o problema: obstinação, teimosia, insistência naquilo que desagrada ao Senhor nosso Deus. O perigo maior - como se fosse pouca coisa desobedecer deste modo ao Senhor - é o relatado em Provérbios 29:1, descritos abaixo.

"O homem que muitas vezes repreendido endurece a cerviz, será destruído de repente sem que haja cura." [Edição Contemporânea de Almeida - Bíblia Thompson].

"Quem insiste no erro depois de muita repreensão, será destruído, sem aviso e irremediavelmente." [Nova Versão Internacional].

Fico pensando que se nossos pais ficam aborrecidos quando os desobedecemos, quanto mais nosso Pai celeste, a quem devemos cada respirar que damos [veja Atos 17: 25]... Sua misericórdia, porém, quando nos arrependemos do erro, é incomparavelmente melhor [considere Salmos 103: 10-14].


...: continua :...
omem que muitas vezes repreendido endurece a cerviz, de repente será destruído sem que haja remédio.

Quem insiste no erro depois de muita repreensão, será destruído, sem aviso e irremediavelmente.
Provérbios 29:1

domingo, 14 de outubro de 2012

...: A Espada e a Espátula:...


Amados,

costumo dizer que, como em qualquer coisa na vida, na internet você encontra de tudo - se é bom ou ruim, dependerá do que e onde você realiza sua busca.

Este ano, descobri a abençoada revista "A Espada e a Espátula", trabalho do queridíssimo amigo e irmão em Cristo, Armando Marcos. Esta obra, de publicação bimestral dos sites dos Projetos Spurgeon e Ryle, foi inspirada na revista de mesmo nome criada por Charles Spurgeon,  em 1864, e que ainda hoje é publicada pelo Tabernáculo Metropolitano.

A origem do nome da revista encontra-se em Neemias, capítulo 4, versos 17 e 18, que seguem abaixo.

"Os que edificavam o muro, os que traziam as cargas e os que carregavam, cada um com uma das mãos fazia a obra e na outra tinha as armas.
E os edificadores cada um trazia a sua espada cingida aos lombos, e edificavam; e o que tocava a trombeta estava junto comigo". 

Ao descobrir sobre esta história lembrei-me do livro "Os três campos de batalha - A guerra espiritual na mente, na igreja e nas regiões celestiais", de Francis Frangipane [Editora Vida], cuja leitura espero concluir em breve. Adianto que não concordo com tudo o que ele diz, mas ainda assim, vale a pena ler, tendo I Tessalonicenses 5: 21 como norte.


Um dos capítulos, cuja referência bíblica é Isaías 58:12 [recomendo a meditação], intitulado "Reparadores de brechas", tem um parágrafo que compartilho abaixo, e que têm falado muito ao meu coração. 


"Não é preciso frequentar faculdade para encontrar falhas na igreja. Na verdade, se você se lembra, conseguia encontrar falhas na igreja antes de ser cristão. Achá-las não requer talento. Mas, para ser como Cristo, é preciso morrer para o pecado das pessoas. É preciso ser um intercessor que fica na brecha. A brecha é a distância entre o jeito que as coisas estão e o jeito que deveriam ser." [pp 119].


Amados, é tão fácil acharmos defeitos! - especialmente nos outros. Mas a espada do Espírito [Efésios 6:17] deve estar desembainhada para os inimigos, não para os  irmãos da fé. Sendo edifício de Deus [I Coríntios 3:9], ao vermos uma brecha, uma rachadura, precisamos usar a espátula para reparar a edificação, para manter a unidade, para não irmos todos para o chão.


Como é difícil corrigir em amor...


A ação de lutar e cuidar pouco provavelmente será feita uma em detrimento da outra, como bem vemos em Neemias, porque o inimigo nos acusa dia e noite [Apocalipse 12: 10]. Devemos, pois, estar preparados.  

E nos preparamos investindo tempo na meditação da Palavra, em oração, em comunhão com os irmãos... pessoalmente, pela internet, ou pela boa literatura, que compartilham ou produzem, como é o caso da revista que recomendei no começo deste post.

Não precisamos concordar com tudo e com todos, afinal, o Senhor nosso Deus não nos deu um cérebro a toa, mas "meus amados irmãos, todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar", como tão bem aconselha Tiago 1:19. 

Minha oração é que "A Espada e a Espátula" seja de bênção para sua vida, instrumento que nos ajude para melhor enfrentarmos o inimigo, e  para aperfeiçoamento e crescimento do Corpo de Cristo.


Que o Senhor nosso Deus os abençoe, em Cristo Jesus, nosso Salvador.


Beijocas! :*


domingo, 7 de outubro de 2012

...: Tu, Ele, Nós - parte 1 :...


Diz o ditado que tudo que um dia vai, volta. 

Não sou de confiar muito em ditos populares, mas lembrei-me deste, ao considerar determinados trechos desta passagem de Gálatas 5: 19 a 21a, abaixo:

"Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas [...]"

"As coisas que a natureza humana produz são bem conhecidas. Elas são: a imoralidade sexual, a impureza, as ações indecentes, a adoração de ídolos, as feitiçarias, as inimizades, as brigas, as ciumeiras, os acessos de raiva, a ambição egoísta, a desunião, as divisões, as invejas, as bebedeiras, as farras e outras coisas parecidas com estas. [...]" diz a versão da NTLH.

Meditando nesta passagem, percebi que há, entre estas obras da carne, ou da nossa natureza humana, como diz a NTLH, consequências que se voltam, primeiramente, contra nós mesmos. Mas, amados, isto não é um atenuante. Todo pecado que cometemos, o cometemos contra o Senhor Deus. 

É para o Senhor Deus que precisamos - para Quem desesperadamente precisamos! - apresentar nosso arrependimento - ou seja, reconhecer nosso erro,  suplicar-Lhe perdão, e não voltar a cair neste mesmo erro.  

Contudo, as consequências podem ser percebidas, primeiramente, em nós mesmos. E, neste sentido, entendi que prostituição, impureza, lascívia, bebedices e glutonaria, tem reflexo imediato, em nosso espírito, alma e corpo. 

Maioria de nós pensa que está imune porque conhece os efeitos destes pecados....será mesmo? Acredito que é bem provável que não ofereçamos nossos corpos em troca de dinheiro, o que entendemos por prostituição. Assim como à impureza - aquilo que nos contamina, infecta, nos torna suscetíveis à doenças ou já doentes. Neste aspecto, de pecados de natureza íntima, o que dizer da lascívia - aquele que se devota aos prazeres sexuais, de modo sensual?

Talvez o amado leitor não seja dado a comer, ou beber, com avidez e em excesso - como os glutões, tampouco como os beberrões.

Mas, será que temos a mais elementar dimensão da degradação moral, física e, sobretudo, espiritual que envolvem estas práticas? Será que entendemos que, a cada vez - a cada pequenina e rápida vez - em que nos permitimos ver, parar e, finalmente, dominar por estas coisas, estamos comprometendo nosso espírito, nossa alma e nosso corpo?

"Bem aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios; nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores." diz o Salmista, no capítulo 1, verso 1.

A versão da NTLH diz, que
"felizes são aqueles que não se deixam levar pelos conselhos dos maus, que não seguem o exemplo dos que não querem saber de Deus e que não se juntam com os que zombam de tudo o que é sagrado!"


É sabido que não se tropeça em montanha. Mas, quão facilmente esquecemos das pequenas pedras!  Se queremos manter comunhão com o Senhor Deus, se queremos ser agradáveis a Ele, temos que andar conforme Seus termos - e, além de evitarmos problemas no nosso corpo físico, evitamos o pior dos problemas: a dor e desalento da separação da presença do nosso Deus.

...: continua :...

sábado, 29 de setembro de 2012

...: O coração do homem pode fazer planos mas... :...


Está em Provérbios 16, verso 1. 

"O coração do homem pode fazer planos mas a resposta certa dos lábios vem do Senhor".

Criei este espaço porque queria compartilhar o que o Senhor Deus ensinou - e, glórias a Ele mesmo - ainda está ensinando para mim. Não, o gerúndio não foi aplicado incorretamente. Dia após dia, o Senhor Deus, em Cristo Jesus,  com a direção do Espírito Santo, está ensinando ao meu coração. 

Tem sido assim pela leitura e meditação nas Sagradas Escrituras, por compartilhar da vida preciosa dos irmãos, na congregação e pela internet, por programas de TV, como o abençoado Abrindo a Bíblia da Rede Boas Novas [super recomendo!]. ..

Os planos aqui no Quintal, eram 'compartilhar para ensinar'. E para eu não esquecer, também.  Entretanto, acabei aprendendo muito, muito mais. 

Graças a misericórdia do Senhor Deus, e conforme o desejo do meu coração, tinha conseguido colocar em ordem as postagens, com regularidade. Mas, eis novamente os planos do Senhor...

Embora compartilhe o que tenho aprendido, raramente explico as origens dos estudos - o porquê do estudo, o que me levou à pensar e considerar determinados temas... Acredito, firmemente, e é minha oração, que visitem o Blog e vejam Cristo Jesus, meu Senhor, meu Salvador, meu Mestre, na minha vida, nas minhas atitudes, nas minhas palavras....

Não é um diário para registrar meu dia, minha rotina. O foco não sou eu - é Ele. O objetivo é de ser um instrumento de bênção, para honra e glória dEle. E oro para que este desejo seja alcançado. 

"Porque dEle e por Ele, e para Ele, são todas as coisas; glória, pois, a Ele eternamente. Amém." - Romanos 8:37

"Não a nós, Senhor, não a nós, mas ao Teu Nome dá glória, por amor da Tua benignidade e da Tua verdade" - Salmos 115:1

É por isso que não costumo explicar, porque o objetivo é testemunhar do Senhor, e não de mim,  e têm funcionado bem assim. ^ ^

Mas, hoje explico o porquê dos atrasos nas postagens. Aliás, dou testemunho: uma nova oportunidade profissional foi aberta pelo Senhor Deus. E, com isto, foi preciso um tempo de afastamento aqui do MQ para participar de um treinamento, em estado diferente de onde resido, para começar a nova atividade.

Meus planos para setembro seriam viajar para participar de estudos na área de finanças pessoais, ramo da Economia que abracei desde 2004. Solicitei até a ajuda dos amigos, pelo facebook, para me ajudarem a decidir entre São Paulo e Brasília, locais onde aconteceriam estes estudos. Quando me decidi, não conseguia comprar a passagem. E lembrei-me da passagem que dá título ao post de hoje.

E os planos do Senhor Deus têm se mostrado muitíssimo melhores do que os meus: ganhei um novo trabalho, ganhei um amigo especialíssimo, mais chegado que um irmão, estou ganhando, dia após dia, graça sobre graça! Aleluia! Louvado seja o nome do Senhor! 

Amados, sei o que é ter o coração ansioso, triste porque nossos planos não se realizam. Mas, acreditem, também tenho aprendido a esperar a cada momento no Senhor Deus, porque "na verdade, não serão confundidos os que esperam em Ti" [Salmos 25:3a]

Que o Senhor Deus possa fortalecer o seu coração, para esperar confiadamente nEle. 

"Espera pelo Senhor, tem bom ânimo, e fortifique-se o teu coração; espera, pois, pelo Senhor" - Salmos 27: 14

No amor de Cristo Jesus, 

Andreia     =]

sábado, 1 de setembro de 2012

...: Pai nosso - final :...


Reconhecemos, louvamos, buscamos orientação. Buscamos, e pela fé obtemos, perdão - e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós temos perdoado aos nossos devedores.  Você costuma pedir algo a alguém que não conhece ou com quem está brigado? Nossas dívidas - ou ofensas, ou pecados como dizem outras traduções - nos separam de Deus.

Ele foi ofendido por nós, mas é Ele quem busca a reconciliação - e para que haja uma reconciliação, é preciso existir o perdão. Oséias 14:1 e 2, na versão da Bíblia Viva diz:
"Israel, Israel, volte para o Senhor, o seu Deus, porque por causa dos seus pecados você ficou nesta situação terrível! Faça seus pedidos! Diga ao Senhor: 'Ó Senhor, perdoe os nossos pecados! Tenha pena de nós e receba nossos sacrifícios, o louvor dos nossos lábios!'"

O Senhor Deus é o único que tem poder e autoridade para perdoar pecados, para prover reconciliação. Considere, ainda,  2 Crônicas 7:14. Conseguimos perdoar quando lembramos o quanto somos perdoados por Deus, em Cristo Jesus.

Maioria dos que oram concluem sua oração, sua conversa com o Pai dizendo e não nos deixeis cair em tentação, mas livra-nos do malNosso Pai é protetor, e isto não significa não experimentar o perigo, mas ser guardado, mesmo em meio ao perigo. O Salmos 116:6 diz "O Senhor protege os simples" e o Salmos 23, nos versos 1 e 4, reforçam esta ideia do nosso Pai, que não dorme, nem tosqueneja, como lembra o Salmos 121.

Eu aprendi esta parte da oração depois de anos!  Pois Teu é o Reino, o poder e a glória para sempre Todo o relacionamento que aprendemos com o Senhor Deus através desta oração é por causa dEle mesmo. É só por Ele que aprendemos e recebem, entre outras, as bênçãos de sermos esclarecidos, humildes, orientados, abastecidos, perdoados, protegidos. Não há nada em nós, mas tudo - tudo - nEle! Aleluia!  =)

É para este Pai que você abre o seu coração? Você O tem conhecido agora, mas já é conhecido por Ele?  É este Pai o símbolo de amor, perdão, salvação, reconciliação, doador de vida - e vida eterna, conforme João 14:6?

Concluímos todas as nossas conversas com o Senhor, nossas orações com uma palavra chamada  Amem, traduzida em português para  [que] assim seja. Expressa nossa esperança de que sejamos atendidos, e nossa confiança de que o Senhor Deus, a Quem pertencem o Reino, o poder e a glória, pode nos atender, pois, "segundo o Talmude [Shabat 119b], amém é um acrônimo formado pela primeira letras das palavras hebraicas 'El Melech Neeman', cuja tradução é "Deus é um Rei Confiável".

Oro para que esta breve mensagem ache abrigo no seu coração e, se você ainda não é, que possa  ser reconhecido como filho ou filha de Deus, podendo afirmar assim, com segurança indelével, que Deus é o seu Pai, com quem se reconciliou graças a Cristo Jesus. E é neste nome bendito e precioso, Jesus Cristo, que oro e agradeço. Amém. 


 - - - - - - - - - - -- - - - - - - - - - - -- - - - -


* Fonte:  http://www.abiblia.org/ver.php?id=2156&id_autor=320&id_utente=&caso=artigos

domingo, 26 de agosto de 2012

...: Pai nosso - parte I :...


Há alguns dias, ministrei uma palestra de finanças para um grupo de brotinhos, como eu carinhosamente chamo o grupo da melhor idade, do Sesc [Serviço Social do Comércio] aqui da minha cidade. 

Aqueles homens e mulheres com tanta experiência de vida, sem palavras, me ensinaram muitas coisas naquele dia e uma delas compartilho aqui com os amados.

Antes de começarmos nossa prosa naquele dia, fizemos uma oração - a conhecida oração do Pai Nosso, registrada no livro de Mateus, capítulo 6, versos 9 a 13. Preparando este estudo, descobri que, em Jerusalém, existe um prédio com mais de cem cerâmicas com as palavras desta oração, em vários idiomas. 

Poderíamos dizer, como percebi com os brotinhos, que é uma oração conhecida, repetida e respeitada pelos povos espalhados no mundo, de boa parte dos credos, ou daqueles que confessam a Deus como Pai.

Ouvir pessoas tão diferentes dizerem, em uníssono, 'Pai Nosso', pode dar uma impressão de unidade, resultado de  voluntariamente abrir mão das preferências pessoais em troca de algo, ou no caso, Alguém, maior. As guerras e perseguições mundo afora nos mostram, porém, que a unidade em torno do Pai não é tão simples ou fácil assim.

Quando oramos Pai nosso que estás no céu, devemos entender que Deus é real, vivo, e tem todo o poder e autoridade sobre nossas vidas - considere Mateus 23:9 e I Pedro 1:17. 

Ao dizermos Santificado seja o Teu nome, louvamos, damos honra ao Senhor por Quem Ele é: "Santo, Santo, Santo", como diz Apocalipse 4:8. Não dizemos o nome do nosso pai terreno levianamente, ou sem propósito, razão. Então, quão melhor não deve ser nossa conduta diante do Senhor Deus?

Prosseguindo, dizemos Venha Teu Reino, seja feita a Tua vontade, assim na terra como no céu. Será que temos buscado a vontade do Senhor para nossas vidas? Confiamos que Sua vontade para nós é boa, perfeita e agradável, como está escrito em Romanos 12:2b? 

Para experimentar esta vontade do Pai, boa, perfeita e agradável, devemos renovar nosso entendimento do Pai, e só conseguimos isto nos achegando a Ele, lendo a Bíblia, com a direção do Espírito Santo de Deus.  Só assim encontraremos o propósito do Pai para nossas vidas.


A seguir, pedimos O pão nosso de cada dia dá-nos hoje que externa nossa dependência do Pai  - um Pai que é provedor, cuidador de Seus filhos. Têm sido assim desde o Antigo Testamento, como lemos em Gênesis 22:8, 14, como no Novo Testamento, em Filipenses 4:19.

...: continua :...


domingo, 19 de agosto de 2012

...: Eu já estou dentro, e você, onde está? :...


O Senhor Jesus Cristo é o único que expressa fielmente o mais puro, concreto e verdadeiro amor - amor que doa, que perdoa, que conduz diariamente o passo daqueles que O aceitam, que é capaz de se dar, inteira e definitivamente, pelos destinatários, pela outra parte deste relacionamento tão vivo.

O Senhor Deus, em Jesus Cristo, demonstrou o amor que caminhou até a cruz, a vida que se esvaiu por todos nós. Demonstra, sobretudo, o amor que venceu a morte, que está vivo,  que ressuscitou.

"Também vos notifico, irmãos, o evangelho que já vos tenho anunciado; o qual também recebestes, e no qual também permaneceis.
Pelo qual também sois salvos se o retiverdes tal como vô-lo tenho anunciado; se não é que crestes em vão.
Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras, 
E que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras.
E que foi visto por Cefas, e depois pelos doze" - é o relato feito por Paulo em I Coríntios 15: 1-5

Os capítulos 18 a 21 de João relatam detalhadamente toda a trajetória de sofrimento que foi necessário percorrer para que hoje, eu e você, possamos desfrutar de incontáveis e preciosas bênçãos, favores imerecidos que recebemos da parte de Deus. 

João, no capítulo 20 de seu livro, trata especificamente da ressurreição de Cristo. Outras passagens, escritas por outros servos preciosos, não deixam dúvidas de que não há nenhum outro que possa nos salvar [Atos 4:12], tampouco que tenha ressuscitado, que esteja vivo [João 20: 19-31].

Lucas 13: 22-28 é a base para a canção infantil que intitulou esta série de postagens. A versão da Bíblia Viva deste trecho segue, abaixo: 

"Jesus andava de cidade em cidade, e de aldeia em aldeia, ensinando enquanto caminhava, sempre avançando em direção a Jerusalém. Alguém Lhe perguntou: "Só poucos serão salvos?" 
E Ele respondeu:  "A porta para o céu é estreita. Façam força para entrar, porque a verdade é que muitos tentarão, mas quando o chefe da casa já tiver trancado a porta, será tarde demais. 
Então, se vocês ficarem do lado de fora batendo e pedindo 'Senhor, abra-nos a porta', Ele responderá: 'Eu não conheço vocês!'
- 'Mas nós comemos com o Senhor. O Senhor ensinou em nossas ruas', dirão vocês.
E Ele responderá: 'Eu digo que não conheço vocês. Não podem entrar aqui, porque praticam o mal. Vão embora!'
E haverá choro e ranger de dentes quando vocês estiverem do lado de fora e puderem ver Abraão, Isaque, Jacó e todos os profetas dentro do Reino de Deus".

Os castelos existentes ainda hoje pelo mundo são o mais claro exemplo de que todo o Reino tem um portão de entrada. Assim como toda casa, por simples que seja, também. Para entrarmos na casa, o dono deve autorizar a entrada, e demonstrará isto ao abrir a porta. 

Com a morada celeste não seria diferente. Nossa autorização para entrar na morada celestial é concedida por Deus a nós quando abrimos a porta do nosso coração para o Senhor Jesus Cristo. Ou seja, quando confessamos, com o coração e com os lábios nossa fé n´Ele - considere Romanos 10: 9 e 10.

A fé - "o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não veem", como está registrado em Hebreus 11:1 - é a chave que abre a porta do nosso coração para Cristo, que é a própria porta do céu dada por Deus para nós. 

Então, diante de tudo isto, novamente eu pergunto: Qual é o Jesus que você conhece? Que tipo de relacionamento tem? Qual o objetivo dEle para sua vida? Ele abrirá a porta da casa dEle para você?

Se o Jesus que você conhece e se relaciona não possui estas marcas - de expressão do amor, de condução de Seus filhos, de vencedor da morte e que está vivo - sinceramente eu recomendo que você considere este convite, registrado pelo apóstolo João no livro de Apocalipse 3: 20-22:

"Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a Minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo. 
Ao que vencer lhe concederei que se assente comigo no Meu trono; assim como Eu venci, e Me assentei com Meu Pai no Seu trono. 
Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas".

Leia a Bíblia, converse com o Senhor Deus em oração e conheça o Unigênito Filho de Deus, Jesus Cristo, que é "o caminho, a verdade e a vida", conforme João 14:6.

Oro para que o Senhor Deus, que vive e reina para sempre, na graça de Jesus Cristo, possa completar este estudo no seu coração. Amém.

sábado, 11 de agosto de 2012

...: A porta é uma só... :...



A segunda característica distintiva de Cristo é que Ele nos guia, orienta, dá propósito, sentido, continuamente, pela Sua Palavra e pelo Consolador, conforme aprendemos em João 14:15-18,  - 26 e I João 2:27

"Se me amais, guardais os meus mandamentos. E Eu rogarei ao Pai, e Ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre; O Espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque não O vê nem O conhece; mas vós O conheceis, porque habita convosco, e estará em vós. Não vos deixarei órfãos; voltarei para vós" [João 14: 15-18]

"Quem não Me ama não guarda as minhas palavras; ora, a palavra que ouvistes não é minha, mas do Pai que me enviou. Tenho-vos dito isto, estando convosco. Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em Meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito". [João 14: 24-26]

O amor ao Pai também nos distingue, nos leva à obediência, à guarda dos mandamentos e preceitos, registrados na Bíblia e gravados no nossa mente e coração pelo Espírito Santo de Deus.  Antes de voltar para o Pai, o Senhor Jesus disse, em João 16: 7, 13-15

"Todavia digo-vos a verdade, que vos convém que Eu vá; porque, se Eu não for, o Consolador não virá a vós; mas, quando Eu for, vo-lo enviarei.
Mas, quando vier aquele Espírito da Verdade, Ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir.
Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu, e vo-lo há de anunciar.
Tudo quanto o Pai tem é meu; por isso vos disse que há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar".

Por este trecho entendemos que era preciso que Jesus Cristo cumprisse o sacrifício de amor na cruz - não só pela Lei, mas para que o Consolador viesse habitar em nós, dando consolo e orientação. O Espírito Santo, também chamado de Espírito da Verdade, nos guia, dirige em toda a verdade, o que nos permite identificar aquilo que não é a verdade, ou seja, a mentira.

Ao longo do livro de Apocalipse, João escreve da parte do Pai: "Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas" [Apocalipse 2:7a, 11a, 17a, 29; 3:6, 13, 22]. O Espírito Santo, terceira pessoa da Trindade, chamado de Consolador e Mestre, dá ao crente ajuda e orientação, para que este se conduza como deve na carreira cristã. Desde que ouçamos a Sua voz.

O Senhor Deus nos ouve através da oração. Ouvimos ao Senhor através da meditação da Sua Palavra, guiados pelo Espírito Santo de Deus. O Senhor pode falar por outro meio? Pode! É Todo-Poderoso, faz o que Lhe apraz. Mas,  concordo com esta frase, normalmente atribuída a Lutero:
"Fiz uma aliança com Deus: que Ele não me mande visões, nem sonhos, nem mesmo anjos. Estou satisfeito com o dom das Escrituras Sagradas, que me dão instrução abundante e tudo o que preciso conhecer tanto para esta vida quanto para o que há de vir". 

Em 1 João 1:6, o apóstolo amado diz, divinamente inspirado: "Nós somos de Deus, e quem conhece a Deus nos ouve; mas aquele que não é de Deus não nos ouve. Nisto conhecemos o espírito da verdade e o espírito do erro"

...: Continua :...

sábado, 4 de agosto de 2012

...: dentro e fora, você onde está? :...



Concentrarei o olhar sobre três características que vermos ao longo dos textos do apóstolo João, no evangelho que leva seu nome, e nas cartas e livro de Apocalipse [gosto das versões que chamam este precioso livro de Revelação].

O amor é uma das marcas distintivas do Senhor Deus e de Seu Filho, Jesus Cristo, por nós - o que está claramente revelado em João 3: 16: "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu Filho unigênito, para que todo o que nEle crer não pereça, mas tenha a vida eterna"Deus, em Cristo, nos oferece e demonstra um amor que salva. 

O Filho de Deus, o "Verbo que se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade" revelou "a Sua glória, glória como unigênito do Pai" [João 1: 14, partes], e também o Seu amor e o amor do Pai por nós, de Quem estamos separados por conta do primeiro de muitos pecados, consumado no Jardim do Éden [veja Gênesis, capítulos 1 a 3].

Contudo, o Pai nos amou de tal maneira que deu [João 3:16 parte]. O amor de Deus é doador: concede perdão ao arrependido, nos reconciliando com Deus [João 1: 19, 8:10,11, I João 2:12], dá liberdade [João 8: 31, 32, 36], dá vida eterna [João 5:24, I João 2:25, Apocalipse 1:5].

É um amor que pede? Certamente! Dias atrás, li uma frase atribuída a um pastor, que disse que o amor de Deus não é incondicional. Em um primeiro momento, a frase pode soar dissonante diante do fato de que Deus é amor, conforme I João 4:8, e de que este amor foi demonstrado antes de nós O amarmos. [I João 4:19]

Mas não deveríamos nos assustar com esta ideia, porque é razoável supormos que, alguém que ama, demonstra este sentimento. Curioso perceber que somos tão capazes de notar quando, em um relacionamento, um ama, ou não, o outro, mas seja tão dura a ideia de que o Senhor Deus tenha uma exigência de amor para nós, que declaramos O seguir, servir e, sobretudo, amar. 

O que o Senhor Deus pede de nós é o nosso amor por Ele, que demonstramos ao crermos, obedecermos e permanecermos n´Ele - considere João 13: 34, 35, 14: 21, 15: 9,10. Vale destacar que desde o começo foi assim - Deuteronômio 6:5 - "Amarás, pois, o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças"é repetido nos evangelhos de Mateus, Marcos e Lucas.

Entretanto, o texto não é citado nos escritos de João, conhecido como o discípulo amado. Fiquei a meditar o motivo,  e tenho para mim que foi porque o apóstolo demonstrou, em cada capítulo do livro, uma face desta pedra preciosa que é o amor de Deus, que reforça ou amplia a visão deste preceito bíblico. À propósito, há um estudo sobre como Cristo é revelado nos evangelhos e alguns profetas na Bíblia Thompson muito interessante e altamente recomendado.

Este precioso servo, inspirado pelo Pai, deixou registrado que, o Amor que salva, reconcilia, liberta, serve, dirige também nos salva da ira futura - João 4:42, 12:47, 3:36, I João 4:14, I Tessalonicenses 1:10.

Portanto, "aquele que diz: Eu O conheço, e não guarda os Seus mandamentos, é mentiroso, e nele não está a verdade", I João 2:4.

...: Continua :...

domingo, 29 de julho de 2012

...: A porta é uma só, porém dois lados há... :...




Não sei se já aconteceu com você. Comigo, é a terceira vez: fiquei para o lado de fora, cara com a porta. Explico: fui ao culto dos jovens da igreja, onde não só tivemos o privilégio de desfrutar a comunhão uns com os outros, como celebramos mais um ano de vida de um dos queridos presbíteros.

Quando cheguei, atrasada, os irmãos já estavam cantando, animados, no apartamento. É uma das minhas músicas preferidas, que diz os versos de Mateus 6:33, 4:4 e 7:7. Como sabia que eles não ouviriam a campainha, os acompanhei do lado de fora, esperando para tocar a campainha quando a música acabasse.

Enquanto aguardava, cantando do lado de fora, lembrei-me de que o presbítero aniversariante, certo domingo, apresentou um abençoado estudo em que dizia que a igreja era como um pedacinho do céu. Este pensamento reforçou outro, e que motivou o presente estudo.

Em qual Jesus as pessoas creem?

Aparentemente pode parecer uma pergunta sem sentido, ou sectária, mas a resposta a esta pergunta terá um reflexo eterno. O sentido de compartilhar estes rabiscos foi reforçado ainda mais depois do filme que assistimos hoje: “O peregrino – uma jornada para o céu”.

Há um estudo muito interessante – e super recomendado! - que levanta esta questão, e que você pode conferir clicando aqui. Neste texto, o foco é um pouco mais voltado sobre o modo como Jesus é visto por algumas religiões ou grupos religiosos.

Minha proposta, ao invés disso, é meditarmos sobre quem é o Senhor Jesus Cristo revelado em Sua Palavra.

...: Continua :...

sábado, 21 de julho de 2012

...: ...por onde a gente vai :...



3] Como o administrador do espaço virtual se apresenta nas mídias sociais?

É raro, hoje, encontrar um administrador que não disponibilize o link para seu perfil em alguma das mídias sociais como Facebook, Twitter, Orkut [alguém realmente usa isto ainda?....risos], etc.

Então, que tipo de publicações prevalecem? É claro que todo mundo tem o momento abobrinha no dia e, até onde eu saiba [e estou pronta para ser corrigida, se estiver errada], não é pecado rir e fazer rir. 

Porém, é só isto – postagem com piadas, palavrões, imagens sensuais ou chocantes? Músicas que apresentam, em videoclipes ou nas letras [ou ambos], como um comportamento normal e aceitável o desrespeito à lei e à ordem, o consumo desenfreado, o uso de drogas, bebidas alcoólicas, envolvimento sexual, a apologia à violência? 

“O homem bom, do bom tesouro do seu coração tira o bem, e o homem mau, do mau tesouro do seu coração tira o mal, porque da abundância do seu coração fala a boca”. Lucas 6:45

Da abundância do coração fala a boca, digitam os dedos e aparecem na timeline do Facebook, do Twitter.... E faz o quê, no coração e na mente daqueles, cristãos ou não, que lêem? Em 1 Coríntios 5:12 Paulo bem disse que “todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convém; todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma”.

Aliás, no capítulo 8 desta 1ª carta aos Coríntios, Paulo trata de modo bem objetivo e radical o cuidado que devemos ter sobre o impacto que nossas ações podemos causar nos irmãos - neste capítulo, ele trata sobre coisas sacrificadas aos ídolos, e demonstra que "a ciência incha, mas o amor edifica" [final do verso 1]. 

A versão da Bíblia Viva deste trecho final do verso 1 é bem interessante: "Mas, embora ser um 'sabe-tudo' nos faça sentir-nos importantes, o que é preciso, na realidade, para edificar a igreja, é o amor". 

O  verso 13, que fecha o tema neste capítulo, é contundente e desafiador:  "Portanto, se comer carne oferecida a ídolos fizer meu irmão pecar, não comerei nem um pedacinho em toda a minha vida, porque não quero feri-lo, de maneira alguma".

Eu me concentrei somente em três, mas certamente há outros aspectos que podem ser incluídos para realizar um bom exame e descobrir o que o amado leitor tem lido ou visto pela internet. Bem como se vale a pena continuar sendo seguidor de um espaço virtual que não produz sementes de edificação para o Corpo de Cristo. Em 1 Coríntios 5: 9-13, há uma séria observação a este respeito. 

Há algumas semanas, li uma frase da autora Stormie Omartian na abençoada Bíblia da Mulher que Ora, editada pela Mundo Cristão, que sintetiza, com clareza, toda a ideia que me levou a meditar no assunto: “O poder de Deus é precioso e poderoso demais para ser desperdiçado em uma alma insubmissa”.

Se o administrador do espaço virtual demonstra ser, repetida e persistentemente, insubmisso, desobediente, enganoso ao Senhor Deus, acredite, ele o será em todas as outras esferas da sua vida, pessoal e virtual. Repetida e persistentemente.

Somos pecadores e podemos, a qualquer tempo e descuido, cair. Considere 1 Coríntios 10:12. Mas relembro, como compartilhei outras vezes, que o conceito de perfeição requerido pelo Senhor Deus é ser íntegro. Misericordioso não é somente ser compassivo, mas não retribuir para alguém que nos ofende conforme tal ofensa mereceria.

Concluo estes posts compartilhando, como fiz no Facebook, o trecho de um livro muito abençoado que li em fevereiro deste ano, chamado "A Lei da Lepra - Uma figura do pecado e da restauração divina", de G.C. Willis, Ed. DLC. Recomendadíssimo. 

Oro para que este estudo sirva de alerta, para administradores, parceiros e colaboradores, e que seja um incentivo a mais para a busca de uma vida em santidade a cada dia, pois sem santidade, ninguém verá a Deus, conforme Hebreus 12:14.

Deus nos abençoe, em nome e pelo amor de Cristo Jesus, nosso Salvador. Amém.  :)

"Aquele que o Senhor Jesus purificou está transformado, não só exterior, mas também interiormente, por meio do novo nascimento. Tal pessoa recebeu um coração limpo [puro] e uma nova natureza, para a qual o pecado é repugnante, e ela o detesta.

Se alguém no qual habita a nova natureza escorrega para dentro do pecado, ele não ficará satisfeito até ter sido restaurado." [pp 35]