sábado, 4 de agosto de 2012

...: dentro e fora, você onde está? :...



Concentrarei o olhar sobre três características que vermos ao longo dos textos do apóstolo João, no evangelho que leva seu nome, e nas cartas e livro de Apocalipse [gosto das versões que chamam este precioso livro de Revelação].

O amor é uma das marcas distintivas do Senhor Deus e de Seu Filho, Jesus Cristo, por nós - o que está claramente revelado em João 3: 16: "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu Filho unigênito, para que todo o que nEle crer não pereça, mas tenha a vida eterna"Deus, em Cristo, nos oferece e demonstra um amor que salva. 

O Filho de Deus, o "Verbo que se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade" revelou "a Sua glória, glória como unigênito do Pai" [João 1: 14, partes], e também o Seu amor e o amor do Pai por nós, de Quem estamos separados por conta do primeiro de muitos pecados, consumado no Jardim do Éden [veja Gênesis, capítulos 1 a 3].

Contudo, o Pai nos amou de tal maneira que deu [João 3:16 parte]. O amor de Deus é doador: concede perdão ao arrependido, nos reconciliando com Deus [João 1: 19, 8:10,11, I João 2:12], dá liberdade [João 8: 31, 32, 36], dá vida eterna [João 5:24, I João 2:25, Apocalipse 1:5].

É um amor que pede? Certamente! Dias atrás, li uma frase atribuída a um pastor, que disse que o amor de Deus não é incondicional. Em um primeiro momento, a frase pode soar dissonante diante do fato de que Deus é amor, conforme I João 4:8, e de que este amor foi demonstrado antes de nós O amarmos. [I João 4:19]

Mas não deveríamos nos assustar com esta ideia, porque é razoável supormos que, alguém que ama, demonstra este sentimento. Curioso perceber que somos tão capazes de notar quando, em um relacionamento, um ama, ou não, o outro, mas seja tão dura a ideia de que o Senhor Deus tenha uma exigência de amor para nós, que declaramos O seguir, servir e, sobretudo, amar. 

O que o Senhor Deus pede de nós é o nosso amor por Ele, que demonstramos ao crermos, obedecermos e permanecermos n´Ele - considere João 13: 34, 35, 14: 21, 15: 9,10. Vale destacar que desde o começo foi assim - Deuteronômio 6:5 - "Amarás, pois, o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças"é repetido nos evangelhos de Mateus, Marcos e Lucas.

Entretanto, o texto não é citado nos escritos de João, conhecido como o discípulo amado. Fiquei a meditar o motivo,  e tenho para mim que foi porque o apóstolo demonstrou, em cada capítulo do livro, uma face desta pedra preciosa que é o amor de Deus, que reforça ou amplia a visão deste preceito bíblico. À propósito, há um estudo sobre como Cristo é revelado nos evangelhos e alguns profetas na Bíblia Thompson muito interessante e altamente recomendado.

Este precioso servo, inspirado pelo Pai, deixou registrado que, o Amor que salva, reconcilia, liberta, serve, dirige também nos salva da ira futura - João 4:42, 12:47, 3:36, I João 4:14, I Tessalonicenses 1:10.

Portanto, "aquele que diz: Eu O conheço, e não guarda os Seus mandamentos, é mentiroso, e nele não está a verdade", I João 2:4.

...: Continua :...

Nenhum comentário: