domingo, 7 de outubro de 2012

...: Tu, Ele, Nós - parte 1 :...


Diz o ditado que tudo que um dia vai, volta. 

Não sou de confiar muito em ditos populares, mas lembrei-me deste, ao considerar determinados trechos desta passagem de Gálatas 5: 19 a 21a, abaixo:

"Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas [...]"

"As coisas que a natureza humana produz são bem conhecidas. Elas são: a imoralidade sexual, a impureza, as ações indecentes, a adoração de ídolos, as feitiçarias, as inimizades, as brigas, as ciumeiras, os acessos de raiva, a ambição egoísta, a desunião, as divisões, as invejas, as bebedeiras, as farras e outras coisas parecidas com estas. [...]" diz a versão da NTLH.

Meditando nesta passagem, percebi que há, entre estas obras da carne, ou da nossa natureza humana, como diz a NTLH, consequências que se voltam, primeiramente, contra nós mesmos. Mas, amados, isto não é um atenuante. Todo pecado que cometemos, o cometemos contra o Senhor Deus. 

É para o Senhor Deus que precisamos - para Quem desesperadamente precisamos! - apresentar nosso arrependimento - ou seja, reconhecer nosso erro,  suplicar-Lhe perdão, e não voltar a cair neste mesmo erro.  

Contudo, as consequências podem ser percebidas, primeiramente, em nós mesmos. E, neste sentido, entendi que prostituição, impureza, lascívia, bebedices e glutonaria, tem reflexo imediato, em nosso espírito, alma e corpo. 

Maioria de nós pensa que está imune porque conhece os efeitos destes pecados....será mesmo? Acredito que é bem provável que não ofereçamos nossos corpos em troca de dinheiro, o que entendemos por prostituição. Assim como à impureza - aquilo que nos contamina, infecta, nos torna suscetíveis à doenças ou já doentes. Neste aspecto, de pecados de natureza íntima, o que dizer da lascívia - aquele que se devota aos prazeres sexuais, de modo sensual?

Talvez o amado leitor não seja dado a comer, ou beber, com avidez e em excesso - como os glutões, tampouco como os beberrões.

Mas, será que temos a mais elementar dimensão da degradação moral, física e, sobretudo, espiritual que envolvem estas práticas? Será que entendemos que, a cada vez - a cada pequenina e rápida vez - em que nos permitimos ver, parar e, finalmente, dominar por estas coisas, estamos comprometendo nosso espírito, nossa alma e nosso corpo?

"Bem aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios; nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores." diz o Salmista, no capítulo 1, verso 1.

A versão da NTLH diz, que
"felizes são aqueles que não se deixam levar pelos conselhos dos maus, que não seguem o exemplo dos que não querem saber de Deus e que não se juntam com os que zombam de tudo o que é sagrado!"


É sabido que não se tropeça em montanha. Mas, quão facilmente esquecemos das pequenas pedras!  Se queremos manter comunhão com o Senhor Deus, se queremos ser agradáveis a Ele, temos que andar conforme Seus termos - e, além de evitarmos problemas no nosso corpo físico, evitamos o pior dos problemas: a dor e desalento da separação da presença do nosso Deus.

...: continua :...

Nenhum comentário: