segunda-feira, 12 de novembro de 2012

...: Tu, Ele, Nós - final :...


Dizem que uma imagem vale mais do que mil palavras.

Nem sempre. Mas esta, confesso, veio bem a calhar, pois é uma boa ilustração para os últimos e tristes termos relatados em Gálatas 5:19 - 21 - inimizades, ciúmes, iras, discórdias e invejas

Achei curioso o fato destas palavras estarem todas assim, no plural. Creio, agora, que é justamente pela situação em que se usa - quando se refere ao Corpo de Cristo, à Igreja. E para que fique ainda mais claro, vamos relembrar Colossenses 1: 18a e I Coríntios 12: 12, transcritos abaixo:

"Ele é a cabeça do corpo, da igreja. [...]"

Porque, como o corpo é um todo tendo muitos membros, e todos os membros do corpo, embora muitos, formam um só corpo, assim também é Cristo.
1 Coríntios 12:12
"Porque, assim como o corpo é um e tem muitos membros, e todos os membros, sendo muitos, constituem um só corpo, assim também com respeito a Cristo."

Uma queda, provocada por descuido, imprudência, negligência ou imperícia, nossa ou de outros, pode provocar uma fratura. Independentemente do motivo, no Corpo de Cristo, uma queda sempre produz uma fratura. Para saber se é tratável ou não, só se reconhecer o problema e aceitar fazer um tratamento.

Parece pouco razoável imaginar que alguém, com um membro do corpo quebrado, vá recusar tratamento. Mas fazemos isto quando nos recusamos a enxergar em nós, por exemplo, um sentimento de aversão ou hostilidade em relação a um irmão, ou grupo de irmãos, ao que o dicionário define por inimizade

Se somada à aversão e hostilidade surge o medo [baseado em motivos reais ou imaginários] da perda da pessoa outrora querida, se há aborrecimento em compartilhar a companhia do irmão ou irmã com outras pessoas, ou suspeita de que esta é infiel no relacionamento fraternal, temos os ciúmes - sentimento que é "duro como a sepultura" [Cantares 8: 6c]. 

De repente, não é o caso. Aconteceu alguma situação, ou não aconteceu, que te deixou com raiva. E o problema não foi tratado. E o que era para ter passado ali, se transformou em ressentimento, indignação, rancor. Tanto desgosto, tanta ira

Sim, a Palavra diz "irai-vos", mas continua recomendando "e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira" [Efésios 4:26]. Mas, se relutamos em nos submeter e obedecer ao mandamento de Colossenses 3:13, chegamos a outra dura palavra citada aos Gálatas, a discórdia

Conflitos não resolvidos, seja sobre o tema que for, podem causar discórdia, dissensão, a tal ponto que se transforma em separação. Como muitos, um conflito que surge no coração, se manifesta em nossos pensamentos e ações. Não à toa a Palavra nos exorta "sobretudo o que se deve guardar, guarda o coração, porque dele procedem as fontes da vida" [Provérbios 4:23].

Podemos descuidar do nosso coração, e permitir que a raiz de amargura floresça, nos pertube e venha a contaminar a muitos [Hebreus 12: 15b]. Nos pequenos exemplos citados antes, pessoas iracundas, ciumentas, iradas e que discordam não escondem que são ou se sentem assim.

Mas você conhece alguém que admita que é uma pessoa invejosa?

A inveja mais do que o desejo de obter os bens ou usufruir a felicidade de outra pessoa, é um grande sintoma de ingratidão para com o Senhor Deus, e de desconhecimento de si mesmo, de saber o que o satisfaz.

E, aqui, não estou dizendo da inveja que dura um momento, que quando você percebe, pede perdão a Deus e para que Ele guarde seu coração - e isto vale para as outras situações citadas.

O problema é quando isto se transforma em uma rotina. Quando se dá a desculpa que é "da personalidade", ou tem-se a tal síndrome de Gabriela - eu nasci assim, eu cresci assim, eu sou mesmo assim, vou ser sempre assim...

Especialmente para esta situação, mas também para as outras, se o irmão ou irmã não reconhece que permitiu que esta raiz florecesse em seu coração, e que isto tem contaminado a muitos, não só impede que a cura venha sobre si, como prejudica o relacionamento no Corpo de Cristo. 
 
Destes frutos da carne citados acima, poucos como a inveja deixam uma ferida tão séria - um membro amputado. A separação ocorre ou porquê o invejoso se considera vítima e se afasta da Igreja, ou pelo fato de que é muito difícil conviver com uma pessoa invejosa - e os outros membros se afastam. 

O começo de Hebreus 12:15 diz: "Tendo cuidado para que ninguém se prive da graça de Deus [...]". Todos os frutos da carne citados em Gálatas, e em tantas outras passagens bíblicas, podem ser extraídos, eliminados, da nossa vida pela incomparável graça de Deus. 

Tenhamos cuidado para não nos privarmos - deixarmos de aproveitar, compartilhar, conviver com intimidade - de tão grande amor e favor do Senhor Deus, revelado em Cristo Jesus, nosso Salvador.
 
Concluo esta série de post com a leitura de Gálatas 5: 24, 25 e 6: 8, orando para que o Senhor nosso Deus, em Cristo Jesus, nos liberte de todo mal, e complete este estudo em nossos corações. Amém.

"E os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne, com suas paixões e concupiscências. Se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito. [...]
Porque o que semeia para a sua própria carne da carne colherá corrupção; mas o que semeia para o Espírito do Espírito colherá vida eterna"

 


sábado, 3 de novembro de 2012

...: Tu, Ele, Nós - parte 2 :...


Você se lembra de parte de um ditado popular que diz sobre "atirar pedra na cruz"? É isto o que me veio à mente ao ler estas frases de Gálatas 5:19 - 21: idolatria, feitiçaria, dissensões, facções e porfia. Quando agimos conforme estas frases, pecamos diretamente contra o Senhor Deus e a fé em Cristo Jesus. Atiramos pedras na cruz.

Costumamos ler estas frases e pensar no sentido mais básico, comum, destas expressões. Ao pensarmos no conceito de idolatria, por exemplo, afirmamos que é a 'adoração de ídolos'. E não é errado. Mas vai muito além de se ajoelhar diante de uma imagem, de madeira, gesso, ou seja lá que material for. 

Já aconteceu de você trabalhar e outra pessoa levar o crédito, e receber todos os louros, a atenção e agradecimentos? É claro que o exemplo é bem simplista, mas a ideia é praticamente esta. O Senhor Deus nos deu tudo, absolutamente tudo. Mas, damos crédito à 'nossa força de vontade', ao dinheiro, à formação acadêmica, a outros e falsos deuses...colocamo-os em primeiro lugar na nossa vida. Em êxodo 20: 3-6 há instruções claríssimas para evitar cair neste tipo de desobediência. 

Quanto à feitiçaria, a cultura, nas diversas expressões de mídia, têm tentado nos convencer de que são simplesmente estórias, entretenimento - já repararam que as bruxas costumam ser mulheres simpáticas, que fazem coisas estranhas mas sempre querendo coisas boas para as outras, e com roupas engraçadas? Ou, mais recentemente, crianças/adolescentes que vivem em um mundo paralelo, e que, na verdade, usam uma "feitiçaria boa" para combater uma "feitiçaria má"?.

Mas não há nada de engraçado ou bom na feitiçaria. O dicionário da Bíblia de Almeida definine assim a feitiçaria: "forma de magia em que se usam certos atos e palavras e a invocação de espíritos ou demônios a fim de prever o futuro ou controlar pessoas e acontecimentos" [pp 71]. Sobre magia o dicionário esclarece: "[...] a magia pretende conhecer o futuro, encontrar ajuda para os problemas da vida e realizar coisas fora do comum." [pp 104].

Aliás, manifestações culturais são o tipo de assunto que costuma causar dissensão, ou discórdia, nas igrejas. Algumas traduções usam ainda a palavra sedição. O dicionário Aulete definine dissensão como "característica ou situação do que diverge, contrasta, se opõe [...]". Em resumo, revolta, rebelião, contra as ordens e mandamentos do Senhor.  

Amados, como disse antes quando cometemos pecado, qualquer pecado, contra o Senhor Deus o cometemos - e acredito que a ênfase de Paulo aos Gálatas era justamente esta. Uma ação discordante, de oposição, começa bem antes de sua manifestação visível - mais um exemplo simplista: o divórcio tem início bem antes do comunicado público daqueles que se separam. Ou seja, ainda que percebamos a dissensão quando se dá entre os irmãos, seu início foi anterior ao fato perceptível.

Assim também ocorre com a facção, ou heresia, como consta em outras traduçõesAlguns estudos sugerem que a facção é derivada da dissensão, e acredito que seja razoável supor assim, ainda que, particularmente, tenha o entendimento que a dissensão se manifesta como oposição direta ao Senhor Deus, enquanto que a heresia estabelece um certo partidarismo, a escolha por um lado. Ambas, porém, estão sempre do lado contra a Deus.

Finalmente, temos a porfia, no dicionário bíblico traduzida simplesmente por 'discussão, briga'. Gostei muito de uma definição dada pelo dicionário Aulete, que acredito ser mais aplicável à advertência de Paulo aos irmãos da Galácia: "insistência infundada e irrazoável; obstinação; teimosia" [grifos do dicionário, e mantidos na citação]

É aqui que acredito que reside o problema: obstinação, teimosia, insistência naquilo que desagrada ao Senhor nosso Deus. O perigo maior - como se fosse pouca coisa desobedecer deste modo ao Senhor - é o relatado em Provérbios 29:1, descritos abaixo.

"O homem que muitas vezes repreendido endurece a cerviz, será destruído de repente sem que haja cura." [Edição Contemporânea de Almeida - Bíblia Thompson].

"Quem insiste no erro depois de muita repreensão, será destruído, sem aviso e irremediavelmente." [Nova Versão Internacional].

Fico pensando que se nossos pais ficam aborrecidos quando os desobedecemos, quanto mais nosso Pai celeste, a quem devemos cada respirar que damos [veja Atos 17: 25]... Sua misericórdia, porém, quando nos arrependemos do erro, é incomparavelmente melhor [considere Salmos 103: 10-14].


...: continua :...
omem que muitas vezes repreendido endurece a cerviz, de repente será destruído sem que haja remédio.

Quem insiste no erro depois de muita repreensão, será destruído, sem aviso e irremediavelmente.
Provérbios 29:1