segunda-feira, 12 de novembro de 2012

...: Tu, Ele, Nós - final :...


Dizem que uma imagem vale mais do que mil palavras.

Nem sempre. Mas esta, confesso, veio bem a calhar, pois é uma boa ilustração para os últimos e tristes termos relatados em Gálatas 5:19 - 21 - inimizades, ciúmes, iras, discórdias e invejas

Achei curioso o fato destas palavras estarem todas assim, no plural. Creio, agora, que é justamente pela situação em que se usa - quando se refere ao Corpo de Cristo, à Igreja. E para que fique ainda mais claro, vamos relembrar Colossenses 1: 18a e I Coríntios 12: 12, transcritos abaixo:

"Ele é a cabeça do corpo, da igreja. [...]"

Porque, como o corpo é um todo tendo muitos membros, e todos os membros do corpo, embora muitos, formam um só corpo, assim também é Cristo.
1 Coríntios 12:12
"Porque, assim como o corpo é um e tem muitos membros, e todos os membros, sendo muitos, constituem um só corpo, assim também com respeito a Cristo."

Uma queda, provocada por descuido, imprudência, negligência ou imperícia, nossa ou de outros, pode provocar uma fratura. Independentemente do motivo, no Corpo de Cristo, uma queda sempre produz uma fratura. Para saber se é tratável ou não, só se reconhecer o problema e aceitar fazer um tratamento.

Parece pouco razoável imaginar que alguém, com um membro do corpo quebrado, vá recusar tratamento. Mas fazemos isto quando nos recusamos a enxergar em nós, por exemplo, um sentimento de aversão ou hostilidade em relação a um irmão, ou grupo de irmãos, ao que o dicionário define por inimizade

Se somada à aversão e hostilidade surge o medo [baseado em motivos reais ou imaginários] da perda da pessoa outrora querida, se há aborrecimento em compartilhar a companhia do irmão ou irmã com outras pessoas, ou suspeita de que esta é infiel no relacionamento fraternal, temos os ciúmes - sentimento que é "duro como a sepultura" [Cantares 8: 6c]. 

De repente, não é o caso. Aconteceu alguma situação, ou não aconteceu, que te deixou com raiva. E o problema não foi tratado. E o que era para ter passado ali, se transformou em ressentimento, indignação, rancor. Tanto desgosto, tanta ira

Sim, a Palavra diz "irai-vos", mas continua recomendando "e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira" [Efésios 4:26]. Mas, se relutamos em nos submeter e obedecer ao mandamento de Colossenses 3:13, chegamos a outra dura palavra citada aos Gálatas, a discórdia

Conflitos não resolvidos, seja sobre o tema que for, podem causar discórdia, dissensão, a tal ponto que se transforma em separação. Como muitos, um conflito que surge no coração, se manifesta em nossos pensamentos e ações. Não à toa a Palavra nos exorta "sobretudo o que se deve guardar, guarda o coração, porque dele procedem as fontes da vida" [Provérbios 4:23].

Podemos descuidar do nosso coração, e permitir que a raiz de amargura floresça, nos pertube e venha a contaminar a muitos [Hebreus 12: 15b]. Nos pequenos exemplos citados antes, pessoas iracundas, ciumentas, iradas e que discordam não escondem que são ou se sentem assim.

Mas você conhece alguém que admita que é uma pessoa invejosa?

A inveja mais do que o desejo de obter os bens ou usufruir a felicidade de outra pessoa, é um grande sintoma de ingratidão para com o Senhor Deus, e de desconhecimento de si mesmo, de saber o que o satisfaz.

E, aqui, não estou dizendo da inveja que dura um momento, que quando você percebe, pede perdão a Deus e para que Ele guarde seu coração - e isto vale para as outras situações citadas.

O problema é quando isto se transforma em uma rotina. Quando se dá a desculpa que é "da personalidade", ou tem-se a tal síndrome de Gabriela - eu nasci assim, eu cresci assim, eu sou mesmo assim, vou ser sempre assim...

Especialmente para esta situação, mas também para as outras, se o irmão ou irmã não reconhece que permitiu que esta raiz florecesse em seu coração, e que isto tem contaminado a muitos, não só impede que a cura venha sobre si, como prejudica o relacionamento no Corpo de Cristo. 
 
Destes frutos da carne citados acima, poucos como a inveja deixam uma ferida tão séria - um membro amputado. A separação ocorre ou porquê o invejoso se considera vítima e se afasta da Igreja, ou pelo fato de que é muito difícil conviver com uma pessoa invejosa - e os outros membros se afastam. 

O começo de Hebreus 12:15 diz: "Tendo cuidado para que ninguém se prive da graça de Deus [...]". Todos os frutos da carne citados em Gálatas, e em tantas outras passagens bíblicas, podem ser extraídos, eliminados, da nossa vida pela incomparável graça de Deus. 

Tenhamos cuidado para não nos privarmos - deixarmos de aproveitar, compartilhar, conviver com intimidade - de tão grande amor e favor do Senhor Deus, revelado em Cristo Jesus, nosso Salvador.
 
Concluo esta série de post com a leitura de Gálatas 5: 24, 25 e 6: 8, orando para que o Senhor nosso Deus, em Cristo Jesus, nos liberte de todo mal, e complete este estudo em nossos corações. Amém.

"E os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne, com suas paixões e concupiscências. Se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito. [...]
Porque o que semeia para a sua própria carne da carne colherá corrupção; mas o que semeia para o Espírito do Espírito colherá vida eterna"

 


Um comentário:

António Jesus Batalha disse...

Amados, entrei no seu abençoado blog, e verifiquei que aqui há vida, e que o amor de Jesus impera.
Dou-lhe os parabéns por este belo blog, que é mais uma ferramenta para levar a Palavra de Deus.
Se desejar faça uma visita ao blog peregrino e servo.
Também se desejar faça parte dos meus amigos virtuais.
É lógico que vou retribuir.
Fique na paz de Jesus. E muitas vitórias em Cristo.
António Batalha.